No âmbito do projeto “BARREIRO MEMÓRIA E FUTURO” e inserida nas comemorações do 31º aniversário da elevação do Barreiro a Cidade, foi inaugurada na noite de ontem, 25 de junho, a Exposição “Barreiro, Memória e Futuro”. Esta mostra permanente que revela mais de cinco mil anos de história do território do Barreiro e das suas gentes prestou, igualmente, homenagem aos 448 barreirenses que, ao longo de quase meio século, pagaram com a prisão, o degredo e a tortura, a resistência ao regime fascista e a luta por um País mais justo, livre e solidário.

Na ocasião, o Presidente do Município referiu que, como forma de um ‘imenso agradecimento’, “colocámos na exposição 448 cravos com o nome de cada um deles”. Certo de que sem estes homens “não estávamos aqui”, Carlos Humberto de Carvalho afirmou que, fazendo parte da nossa história, estes homens são, acima de tudo, parte do nosso futuro. “O seu exemplo ajuda-nos a afirmar que as dificuldades são para ultrapassar. Que um Barreiro e um Portugal diferente e melhor são possíveis. Somos uma terra de trabalho.

Somos uma terra de resistência e de luta. Somos uma terra de cultura, de música, de arte e de desporto. O Barreiro tem Memória! O Barreiro tem Futuro!Barreiro Memória e Futuro!”.

Sobre a Exposição propriamente dita falou o Arquiteto Nuno Gusmão, em representação da P-06 atelier, ambientes e comunicação, empresa responsável pela conceção da exposição. “Estou muito orgulhoso por poder representar a empresa que aqui trabalhou com a Câmara do Barreiro. A forma da exposição resultou das conversas com os funcionários da Autarquia que nos inspiraram para a forma conceptual deste projeto. O mais importante para mim foi deixar de fazer parte das pessoas que olham para o Barreiro por detrás de uma neblina. Já não vejo o Barreiro desta forma. Estamos a falar de Património e o mais importante para nós foi o património humano que aqui encontrámos. Envolvemo-nos de alma a coração neste trabalho”.

Assume, assim, destaque na Exposição BARREIRO, MEMÓRIA E FUTURO o papel assumido nos descobrimentos, a arqueologia, a industrialização, o movimento operário, o associativismo, a resistência, a Revolução de Abril e o Barreiro Hoje.

Símbolo, em si mesma, dos objetivos e linhas de trabalho propostos, a exposição permanente, no seu arrojo e dimensão artística (exposição-instalação), quer ser um coração vibrante num espaço de encontro, trabalho e aprendizagem onde Memória e Futuro se fundem.

Exposição arrojada e contemporânea que marca a memória e identidade da cidade através de diferentes suportes audiovisuais e multimédia e que proporcionam a interatividade entre o conteúdo e os visitantes.

Esta encontra-se nas instalações do Espaço Memória, um Equipamento do Município do Barreiro centrado nos temas da história, identidade e património locais, e apostada na sua investigação, divulgação e dinamização.

Com uma componente marcadamente museológica, onde pontua a exposição permanente “Barreiro, Memória e Futuro” já referenciada, o Espaço Memória reflete e promove uma abordagem participada, colaborativa, multidisciplinar e cidadã dos processos históricos e sociais que marcaram o território desde o início da sua humanização.

Com uma forte ligação à comunidade educativa, na qual se destaca a oferta formativa dirigida às escolas de primeiro ciclo, o Espaço Memória, que também acolhe o Arquivo Municipal do Barreiro, integra projetos de investigação nacionais e internacionais, e participa ativamente na dinamização de espaços e linhas de trabalho em torno da história local junto dos públicos e comunidades locais.

O Espaço Memória está localizado na rua 17, nº 10, Parque Empresarial da Baía do Tejo. A exposição permanente está aberta ao público, de terça a sábado, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. Encerra aos domingos, segundas e feriados.

A entrada é livre.

 

Partilhe esta notícia