No ocidente o acidente vascular cerebral (AVC) está amplamente estudado, sabendo-se que ocorre devido a um comprometimento da circulação sanguínea numa zona do cérebro, a qual deixando de ser irrigada fica sem aporte de oxigénio, levando às consequências psicomotoras características: hemiplegia (paralisia que atinge um dos lados do corpo), paralisia facial, perturbações da fala, rigidez muscular, espasticidade, diminuição da sensibilidade.

Em Medicina Tradicional Chinesa o problema é visto como o colapso do estado de homeostasia devido a uma série de funções energéticas que se encontravam desequilibradas há algum tempo. Quando o vento (interno) se eleva e faz com que as mucosidades obstruam os canais na cabeça, surge o fogo (inflamação) e a estase (o sangue e o Qi não circulam).

Em Medicina Chinesa, denominamos o AVC como um “golpe de vento”.

É outra forma de entender o fenómeno, segundo teorias ancestrais que se baseavam nos fenómenos observados na natureza. Atualmente com os modernos meios de diagnóstico, podemos estudar estes fenómenos dentro do nosso corpo, chegando muitas vezes a conclusões concordantes com as teorias mais antigas. No fundo, o que se passa dentro do nosso corpo não é muito diferente do que ocorre na natureza.

Na China é frequente o recurso à Medicina Chinesa como estratégia preventiva, mas também com vista à reabilitação de sequelas resultantes de um AVC. Neste campo a acupuntura tem demonstrado resultados positivos como terapia coadjuvante aos tratamentos ocidentais.

Vários estudos mostram resultados positivos na melhoria do fluxo sanguíneo cerebral e na reconstrução dos circuitos neuronais afetados (Sengxiu1), bem como na regulação da tensão arterial (Hongxing e Tangfa2) e na diminuição da viscosidade sanguínea (Xinsheng et al3), para além de outros efeitos amplamente demonstrados como o relaxamento muscular, diminuição da espasticidade e diminuição da ansiedade.

A melhor aposta é na prevenção, valorizando as escolhas mais saudáveis no nosso dia-a-dia.

Ana Sequeira

(Especialista em Medicina Tradicional Chinesa)

 

  1. SHENGXIU T. (2002). Clinical researchon coherence effect of promoting blood circulation and removing blood stasis in ischemic stroke sequelae treated by scalp acupuncture. Chinese Acupunture and Moxibustion, 2, p.79
  2. HONGXING Z.; TANGFA Z. (2002). Scalp acupuncture for treatment of apoplexy anf effect on plasma ET content. Chinese Acupunture and Moxibustion, 12, p.83
  3. XINSHENG L. JIAYANG L. GUIMEI J. (2004). Effect of combination of acupuncture treatment at Lianquan acu-point and plum blossom needle treatment at the tip of tong on aphasia after stroke and its significant on hemorheology. Chinese Journal of Clinical Rehabilitation 8 (19), p.3818-3820
Partilhe esta notícia