O regime E-fatura, de combate à economia paralela, permitiu ao fisco detetar, no ano transato, 235 337 empresas com indícios de irregularidades.

Os números, cedidos pelo Ministério das Finanças e divulgados pelo Diário Económico, revelam que, do total das divergências detetadas, 74 mil concentram-se em Lisboa, 35 mil no Porto, 18 mil em Setúbal e 13 mil em Braga.

Entre as irregularidades mais comuns apontadas às empresas encontram-se a não liquidação do IVA nas faturas, a falta de entrega de declaração do respetivo imposto e a declaração de valores de IVA abaixo do liquidado nas faturas emitidas. As divergências são detetadas quando os contribuintes incluem o número de identificação fiscal (NIF) nas faturas, mas as empresas não as comunicam ao fisco.

Partilhe esta notícia