A Administração da FISIPE anunciou esta sexta-feira um conjunto de medidas para assegurar o futuro potencial da produção em Portugal. Nos últimos anos, a empresa tem apresentado resultados negativos e tem vindo a perder competitividade, o que impôs a necessidade de mudanças estruturais. A principal razão é a abrangente mudança estrutural do mercado mundial – provocada pelos produtores asiáticos altamente competitivos.

Assim, em linha com a estratégia da empresa de transformar a FISIPE de um fabricante de fibras têxteis tradicionais num fabricante de percursor e de fibras acrílicas especiais, vai  concentrar-se a, partir de agora, na sua atividade principal – a produção de fibra acrílica e percursor de carbono. Como consequência, a empresa decidiu encerrar a sua produção de fio contínuo. A FISIPE vai realizar uma reorganização profunda da sua estrutura e está em curso uma redução de efetivos que pode abranger até 60 trabalhadores. Esta redução vai acontecer em duas fases: a primeira até ao fim de agosto de 2018 e a segunda até ao fim de março de 2019.

A Administração está empenhada em assegurar o futuro potencial da produção em Portugal.

Partilhe esta notícia