Já notaram que certas notícias provocam as maiores das indignações e andam dias a fio na comunicação social e nas redes sociais?

Claro que já notaram!

Durante esses dias são esmiuçados todos os pormenores relevantes e irrelevantes das referidas notícias. Nas redes sociais podemos ver que toda a gente tem uma opinião muito sólida sobre a situação, passando a mesma muitas vezes a ser considerada como uma questão premente e que carece de rápida resolução.

No entanto após essa grande onda de indignação inicial acabam por desaparecer e cair no esquecimento, até que surja algo que coloque novamente a questão nas luzes da ribalta.

Esta constante montanha russa, é na minha opinião, o comprovativo de que nada foi realmente feito para evitar que o problema volte a acontecer.

 

Concretizando com um simples exemplo.

Os incêndios! São o caso típico de um problema cíclico que Verão após Verão abre noticiários e faz capas de jornais. Ano após ano são elaborados relatórios que apontam sempre as mesmas falhas e dificuldades.

E é aqui que me questiono. Não devia ser durante esta época do ano que a estratégia de combate aos incêndios deveria ser delineada?

Não deveria ser exercida pressão no Governo e autarquias para obter respostas sobre o que está a ser feito para que no próximo ano haja Bombeiros melhor equipados e melhor preparados? Para que as vias de acesso e os terrenos sejam limpos atempadamente? E para quando ver as Forças Armadas a apoiarem de forma mais efetiva na prevenção e combate aos incêndios?

Parece simplesmente que não existe um plano contínuo que seja alvo de avaliação e ajustes ao longo do tempo. Parece que o que é feito são apenas medidas temporárias com duração reduzida para eventualmente atenuar o problema nunca para o solucionar de vez.

 

Recordemos a fábula da cigarra e da formiga, em que a formiga acautelando o seu Inverno passa o Verão a trabalhar ao contrário da cigarra que prefere divertir-se. As fábulas são mais que meros contos infantis, são histórias das quais podemos e devemos tirar lições para o nosso dia-a-dia. No entanto vemos os governos deste país a aproveitarem o Inverno sem se preocuparem com os incêndios do Verão e pode ser que esteja enganado mas quando o próximo Verão chegar, poucas serão as formigas que realmente estão preparadas.

 

 

Coina, 09 de Janeiro de 2017

 

Partilhe esta notícia