O autor do site de informação TugaLeaks foi detido pela Polícia Judiciária esta quinta-feira de manhã. Rui Cruz, que é titular de um cartão equiparado a jornalista, foi um dos sete indivíduos detidos na Operação Caretos, relacionada com ataques informáticos e coordenada pelo Gabinete do Cibercrime da Procuradoria-Geral da República (PGR).

O fundador foi detido em casa, na Avenida Capitães de Abril, no Pinhal Novo, que serve também de sede do portal de informação. A Polícia Judiciária suspeita, porém, que Rui Cruz desenvolva também atividades relacionadas com a pirataria informática.

Recorde-se que, no início do mês de fevereiro, o MP tinha arquivado um processo contra o Rui Cruz – titular de uma carteira profissional de equiparado a jornalista – por alegada violação de correspondência ou telecomunicações. Na sequência do despacho de arquivamento, Rui Cruz adiantou à Agência Lusa que iria pedir uma indemnização pelos “graves problemas financeiros” causados pela apreensão de material informático, incluindo um portátil, durante os quase três anos do processo.

As buscas realizaram-se em março de 2012 quando a PJ entrou na habitação do fundador do Tugaleaks sem, acusa Rui Cruz, ter referido os motivos da busca.

O site Tugaleaks apresenta-se, no Estatuto Editorial, como um site “onde várias pessoas podem escrever e comentar, e foi criado numa era onde a informação estava na Internet e não em papel (…) sem qualquer influência de partidos, religião ou outras que possam comprometer o rigor informativo”. O site é conhecido por divulgar, frequentemente, notícias dos ataques do grupo de piratas informáticos, «Anonymous Portugal».

Partilhe esta notícia