REDUÇÃO DE 8 EMBARCAÇÕES PREJUDICARÁ SERVIÇO NO BARREIRO

 

A rede de transportes públicos que serve o concelho do Barreiro configura na opinião do Partido Socialista uma riqueza que urge defender.

Neste sentido, foi com enorme apreensão que registámos as recentes declarações, proferidas pelo Presidente da Administração comum às empresas Carris, Metro e Transtejo, numa entrevista concedida à RDP, onde se pode ler:

Em relação à Transtejo, outra das transportadoras à qual preside, Rui Loureiro explica que “não entra no leque das empresas que já estão prontas para a subconcessão, porque é preciso primeiro equilibrar as contas da empresa”. Finalizando que “para já vão ser vendidos oito barcos.”

Encaramos esta afirmação com extrema preocupação, por ser demonstrativa das reais intenções do Governo, e da sua estratégia de atração de privados para as ditas subconcessões, quando é público que o executivo PSD/CDS pretende eliminar as compensações financeiras pelo serviço público prestado, através de uma redução drástica de custos, só possíveis com uma inaceitável redução da oferta, ao concretizar-se a venda de 8 barcos.

A presente ameaça de redução de oferta irá refletir-se, necessariamente, nas carreiras do Seixal, Montijo e Barreiro. Sendo que, no caso do Barreiro, se pretenderá passar de 7, para 6 unidades, na hora de ponta da manhã, com a consequente redução da frequência o que representará uma quebra importante na qualidade do serviço prestado aos barreirenses. Situação que se agravará, devido ao facto desta ligação ficar sem unidades de reserva na maior parte do tempo, que em caso de avaria ou acidente, reduzirá ainda mais a frequência do serviçio.

Assim, a Comissão Política Concelhia do PS Barreiro, reunida a 09 de Abril, deliberou por unanimidade:

  1. Manifestar a sua extrema preocupação com a manifesta intenção do Governo em atacar o transporte público, deixando as populações da margem sul numa situação precária de mobilidade no que respeita ao Transporte Fluvial.
  2. Solidariza-se com o povo barreirense e apelar a que todos façam ouvir a sua voz discordante, relativamente a este processo.
  3. Solicitar ao Presidente da Câmara Municipal do Barreiro, que faça valer junto do Governo a sua posição institucional como oposição a uma inevitável redução da qualidade do serviço de transporte fluvial prestado ao Barreiro, que é hoje considerado como um serviço imprescindível, com reconhecido impacto na economia local.

Acreditamos que defesa da qualidade do serviço fluvial é indispensável para afirmar o Barreiro no lugar que, pelas suas potencialidades, lhe pertence.

 

A Comissão Política Concelhia do PS Barreiro

Partilhe esta notícia