Assim que Jorge Sousa deu por terminado o jogo no Estádio da Luz no Sábado, foi o que se viu, “explosão” de alegria nas hostes benfiquistas. Foi o delírio total. O Sport Lisboa e Benfica acabara de vencer o sensacional Vitória de Guimarães e sagrava-se Tetracampeão pela primeira vez no seu historial – passou a ser o Clube português com mais títulos. O ambiente na Luz – perto de 65 mil espectadores, em nada ficou a dever ao de outros grandes Estádios europeus e mundiais. A coreografia a incentivar os jogadores rumo ao 36, deu “vida” ao espectáculo nas bancadas. Os artistas sentiam que estavam a uns”passitos” da história, que o momento era decisivo e tinham que se aplicar e jogar nos limites. E como se aplicaram… Entrada à todo “gás” da “Águia” e vontade imensa de resolver o jogo a seu favor, nos primeiros minutos. A marcha no marcador foi dissipando as dúvidas: o Tetra já não escapava aos pupilos de Rui Vitória e o encontro com a história tornou-se real. Em pleno relvado, Luisão levantou pela quarta vez consecutiva o “caneco” de Campeão Nacional. Começa a ser uma imagem bastante comum em Portugal nesta altura do Ano. A festa foi imensa e estendeu-se noite dentro pela Rotunda “reservada” no Centro de Lisboa. Jorge Jesus e Nuno Espírito Santo reconheceram mérito na conquista dos “encarnados”. Reconhecer os méritos da vitória do Benfica, não é um sinal de humilhação. É reconhecer que o colega tem feito um excelente trabalho, à semelhança do que o amadorense fez nos anos que vestia o “Jersey” “encarnado”. Só lhes fica bem!
Rui Vitória esteve uma vez mais irrepreensível ao longo de toda época. Sempre no seu estilo simples e humilde, ia dizendo as “tropas” que nada estava ganho sempre que conquistava mais 3 pontos. Insistia que era preciso muita concentração, empenho e determinação para se conseguir o tão desejado título. Só uma equipa com um grande estofo de campeão aguentaria a pressão “natural” que o Benfica suportou ao longo destes meses. O Clube da Luz esteve na frente do campeonato quase a época inteira… Rui voltou a não tremer nos momentos decisivos e soube tirar partido da experiência dos seus jogadores. De Luís Filipe Vieira e Rui Costa, Vitória recebeu total apoio mesmo quando os resultados não corriam bem. As últimas conquistas, têm demonstrado que na Luz mora um presidente empenhado em fazer do Benfica um Clube cada vez maior e voltar a colocá-lo no “mapa” das grandes decisões do futebol europeu. Em momentos de “aflição”, LFV conseguia manter o grupo unido e apelava aos adeptos para estarem com os jogadores e o treinador. Goste-se ou não, LFV é um verdadeiro líder. E o tempo tem o tornado num presidente melhor.
Quem me surpreendeu bastante esta Semana, foi Bruno de Carvalho. Não porque o Sporting voltou a aproximar-se (institucionalmente) do FC Porto, mas porque o líder leonino reforçou a confiança em Jorge Jesus, chegando a afirmar que o amadorense é o homem que voltará a fazer do Sporting Campeão Nacional. BdC já percebeu que só com um projecto bem estruturado assente na manutenção do treinador e alguns jogadores “chaves”, poderá alcançar a glória. Espero que BdC não caia na tentação de despedir JJ e “começar” tudo de novo. Só a perseverança em métodos de trabalho e rotinas assentes num modelo de jogo lúcido e coeso, com uma boa política de contratações, potenciando a “prata da casa”, tratará o Sporting às grandes decisões. Falando em tentação, no Dragão fala-se na possível troca de Treinador. Nuno Espírito Santo esteve muito bem ao longo da época… Prova disso, foi o facto de ter discutido o Título até a antepenúltima jornada. Para primeiro ano, nada mau. Se for despedido, Pinto da Costa estará a cometer um erro. Aproveitando a semana canónica, espero que a próxima época seja menos “ruidosa”. Oxalá que o vídeo-árbitro ajude a termos um futebol mais transparente e menos polémico. 
Nota I: Fui instigado por um amigo a comentar o incidente que envolveu o jovem brasileiro e o militar da GNR, na Repartição de Finanças do Montijo. Fiquei chocado com tamanha brutalidade. O GNR exagerou no uso da força, é um facto. Pelas imagens, nada justificava tanto zelo quando até o jovem, não representava ameaça a integridade do GNR e demais. Mas também poderia ter-se evitado o triste episódio se o jovem escolhesse o Rossio para fazer vídeos ou obedecesse o pedido do militar para parar de filmar no interior da Repartição. Espero que o caso seja julgado de forma a servir de exemplo para que situações como estas não voltem a acontecer, nem aqui nem do outro lado do Atlântico. 
Nota II: Os franceses “mostraram” um cartão vermelho ao extremismo e a xenofobia e fizeram de Emmanuel Macron o mais novo presidente eleito de França. Macron assumiu compromisso com a Europa e a União Europeia, mostrando-se disponível a ajudar na manutenção dos desígnios do projecto europeu. 
A França continuará a ser o País do diálogo e da tolerância, assente na “Liberté,
 égalité e fraternité”. Vive la France! Nem podia ser diferente! 
Nota III: Portugal tem um novo herói… Salvador Sobral cantou e encantou a Europa. Na noite de Kiev, brilhou como uma estrela que apenas quis “amar pelos dois” e trouxe-nos o Eurovisão pela primeira vez. 
Até pra Semana, caros leitores!

Assina:
Manuel Mendes 
Gestor Imobiliário 
PS (Post
 Scriptum): Manuel Mendes opta por escrever na antiga ortografia da língua portuguesa. 
Partilhe esta notícia