Henrique Frazão ganhou o 1.º Prémio da XII edição do Concurso de Fotografia Augusto Cabrita. Carolina Mota alcançou o 2.º Prémio e, simultaneamente, o Prémio “Jovem Revelação do Barreiro”, David Cardoso foi distinguido com o 3.º Prémio e Ana Vanessa Conceição ganhou uma Menção Honrosa.

A entrega de prémios e a inauguração da exposição decorreram ontem, dia 15 de março, no Auditório Municipal Augusto Cabrita. A iniciativa insere-se na programação da 15Ena da Juventude, promovida pela Câmara Municipal do Barreiro (CMB).

A Exposição estará patente ao público até 5 de abril e reúne um total de 25 fotografias.

Na cerimónia de entrega de prémios, a Vice-Presidente da CMB, Sofia Martins, salientou o facto de terem participado neste Concurso 49 jovens, dos quais 28 residem no Concelho do Barreiro, “um número que revela bem a dimensão da fotografia na nossa Terra”.

Aproveitou a ocasião para agradecer o esforço feito pela organização do Concurso para que este fosse uma realidade e “permitisse trazer até nós o que de melhor se faz a nível nacional”.

De referir que o júri foi composto pelas fotógrafas Anabela Carreira e Vera Marmelo e por Lurdes Lopes, responsável pelo serviço de promoção cultural da CMB.

Veja as fotografias premiadas em: https://www.facebook.com/municipio.barreiro .

“OLHARES DE UM PEREGRINO NO CAMINHO DE SANTIAGO”

Sessenta e quatro pessoas, não só do Barreiro mas também de vários concelhos vizinhos, aceitaram o desafio e participaram na manhã de sábado, 14 de março, na iniciativa «Caminho Português de Santiago – Troço Coina-Barreiro». Durante mais de três horas estes participantes seguiram um antigo caminho real que ligava os concelhos de Coina, Alhos Vedros e Barreiro. À chegada, no Espaço J, aguardava-os a inauguração da exposição de fotografia “Olhares de um Peregrino no Caminho de Santiago”.

Esta mostra de imagens de Nuno Sousa com textos de Luís Ferreira revela o Caminho português de Santiago, parte do caminho francês, e um outro percurso que termina em Finisterra, um município espanhol na província da Corunha. As imagens foram registadas nos anos de 2013 e 1014.

Nuno Sousa referiu que não é fotógrafo profissional mas tem o hábito de andar sempre com uma máquina fotográfica. Feitas as imagens desafiou Luís Ferreira para conceber as frases. “Como resultado desta ‘combinação’ resolvemos fazer uma exposição. Esta é já a quinta mostra de fotos que exibimos ao público. Em abril, vamos finalmente lançar um livro”.

Na sua opinião, “a melhor maneira de conhecermos o Caminho é fazê-lo. Podemos ir para o Caminho de Santiago por vários motivos, pois há três Compostelas  – a religiosa, a espiritual e a desportiva.  E até podemos ir para o Caminho, como fez a minha mulher, só para perceber de que falam os outros, por curiosidade de entender porque tanta gente vai. No meu caso estão presentes a parte religiosa e a parte espiritual”.

A terminar agradeceu à Câmara do Barreiro e ao Espaço J a oportunidade de expor ‘este olhar’.

OLHAR AS FOTOGRAFIAS E REFLETIR SOBRE ELAS

O Presidente da CMB agradeceu aos autores da Exposição e salientou que ‘caminhar’  pode ser feito pelas razões descritas por Nuno Sousa contudo, também, por uma “multiplicidade de razões que nos despertam interesse. Mas o mais importante é esta ideia de associar o bem-estar e a introspeção, ao saber olhar e ver. E estas imagens demostram isso mesmo. Há aqui um olhar de alguém que está a ver, e isso é muito importante”.

Em paralelo, Carlos Humberto de Carvalho também referiu que este Caminho mantém os participantes junto da natureza e dos problemas ecológicos e ambientais, despertando neles a necessária atenção para esta problemática. Em simultâneo, disse, “este Caminho também nos ajuda a entender o que devemos fazer para não destruir o que os outros nos deixaram”.

Perante as imagens, o Presidente deixou o desafio “olhem e reflitam”.

A exposição “Olhares de um Peregrino no Caminho de Santiago”, integrada na 15Ena da Juventude da CMB, fica patente ao público até 28 de março.