Pensar saúde envolve várias dimensões complementares. Desde os recursos humanos, política do medicamento, avaliação económica em saúde, saúde pública, gestão dos equipamentos, investimento em material e investimento em equipamentos.

O conjunto dos concelhos de Almada, Seixal, Sesimbra e Barreiro é lar de cerca de 500 mil pessoas. São servidas apenas pelo hospital distrital do Barreiro e pelo hospital Garcia de Orta que funcionam no limite das suas capacidades. Possuem ótimos profissionais, experientes e dedicados, mas que não chegam para a colmatar as necessidades de saúde da população. Os tempos de espera para as consultas de especialidade, exames e urgências constituem-se como verdadeiras barreiras no acesso aos cuidados de saúde.

O hospital do Seixal, é sem dúvida, uma necessidade de elementar justiça para uma população privada do acesso à saúde. No entanto, e apesar das promessas do presente governo, apenas este mês será escolhido o projetista. Teremos eleições em outubro sem o projeto estar adjudicado, o que implica, na melhor das hipóteses, que só 2023/24 teremos inauguração parcelar do novo equipamento. 

Longe de defender um modelo hospitalcêntrico, considero de forma inequívoca, que o foco de um serviço de saúde moderno devem ser os cuidados de saúde primários, com um paradigma de proximidade e cuidados centrados no cidadão, integrados e tecnológicos, com foco na prevenção e na atuação determinada sobre os determinantes sociais da saúde. O futuro hospital, deve operar já com este paradigma de proximidade, garantido o acesso aos cuidados de saúde especializados, transferindo para o Garcia de Orta os utentes com doença mais grave ou complexa.

Aproveitemos as eleições de outubro, para exigir aos candidatos pelo distrito de setúbal um compromisso: Na próxima legislatura teremos hospital a funcionar, bem equipado e com recursos humanos suficientes para satisfazer as necessidades de saúde da população. É o mínimo que se exige, após décadas de negligência.

Mário André Macedo

Enfermeiro Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica

Partilhe esta notícia