Presidente da Câmara Municipal do Seixal reuniu-se com a ministra da Saúde que garantiu a abertura da urgência pediátrica
Hospital do Seixal vai avançar

Joaquim Santos, presidente da Câmara Municipal do Seixal, recebeu esta tarde da ministra da Saúde, Marta Temido, a garantia da reabertura da urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, a curto prazo, tendo ficado agendada, para o próximo mês, uma nova reunião entre o autarca e a ministra, em que será feito o ponto de situação, caso esta situação não se concretize.

O presidente da Câmara do Seixal manifestou a Marta Temido a sua preocupação pelo fecho da urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, em Almada, todos os dias no horário noturno. Joaquim Santos alertou para os riscos que tal medida pode ter na saúde das crianças do concelho e reforçou o seu desacordo com a solução encontrada pelo ministério, de substituir a urgência do hospital com o alargamento do horário dos centros de saúde.

“Fomos informados que em relação à urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta (HGO), o ministério está a trabalhar para encontrar soluções, sendo que já terá algumas hipóteses em vista, que preferiu não revelar” referiu Joaquim Santos, adiantando que irá continuar a “pressionar para que a urgência pediátrica reabra o mais rápido possível. Daqui a três semanas voltaremos a reunir-nos pelo que espero que nessa altura a normalidade no HGO já esteja reposta”.

A ministra garantiu ainda que serão inscritos 50 milhões de euros no Orçamento do Estado de 2020 para a construção do hospital no Seixal e que a infraestrutura estará concluída em 2023. “Esta é uma resposta há muito aguardada pela população, pelo que esperamos que desta vez venha a ser efetivamente uma realidade”, comentou Joaquim Santos, após a reunião com a ministra solicitada pelo autarca, preocupado com a ausência de respostas do Governo na área da saúde.

Neste encontro, Joaquim Santos entregou ainda à ministra um documento que enumera as necessidades de saúde da população do concelho. Necessidades essas que passam pela construção de um hospital (prometido em 2009) e de novas unidades de saúde, nomeadamente Foros de Amora, Amora e Aldeia de Paio Pires.

Partilhe esta notícia