O dia 28 de janeiro marcou a inauguração da Estrutura Residencial para Pessoas Idosas de Alvalade, um investimento de dois milhões e cem mil euros, que representa “a concretização de um sonho de muitos alvaladenses”, realçou Álvaro Beijinha, presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém.

Na presença de muitos alvaladenses, que não quiseram perder um dia histórico, o Presidente da CMSC sublinhou “a astúcia, a audácia e a coragem da direção da Casa do Povo de Alvalade” ao decidir avançar para este grande projeto. “Mais importante do que o investimento efetuado é a resposta social que este Lar vai permitir, com um impacto significativo em especial para a freguesia de Alvalade, mas também no Município e até fora dele”, destacou.

“A entrada em funcionamento da Estrutura Residencial para Pessoas Idosas de Alvalade acresce a uma rede de equipamentos existentes no Município, que o torna, reconhecidamente, como um dos municípios a nível nacional que melhor cobertura tem de equipamentos sociais, nomeadamente com 11 Centros de Dia − que dão resposta em todas as nossas freguesias −, cobertura de apoio domiciliário também em todas as freguesias, três Unidades de Cuidados Continuados, uma Unidade de Cuidados Paliativos e vários equipamentos de apoio à infância. Com a inauguração do Lar de Alvalade, passamos a ter quatro lares no nosso Município”, explicou o autarca.

Quem também se mostrou muito satisfeito foi Rui Madeira, presidente da Junta de Freguesia de Alvalade, que falou em “honra e orgulho pela inauguração de um dos equipamentos sociais mais importantes de Alvalade”, naquilo que considera ser uma “necessidade há muito sentida na freguesia, uma preocupação que angustiava os alvaladenses”. À semelhança de Álvaro Beijinha, Rui Madeira não esquece “o esforço e empenho dos membros da Direção, bem como do corpo técnico e demais trabalhadores da Casa do Povo de Alvalade, que contribuíram para a construção deste equipamento e que têm sido responsáveis pela excelência da qualidade dos serviços que prestam, reconhecida pelos utentes, seus familiares e toda a comunidade”. O presidente da Junta de Freguesia de Alvalade valorizou ainda a “articulação entre entidades” e elogiou algo que considera ser uma marca distintiva dos alvaladenses: “a procura de soluções conjuntas, a articulação profunda entre instituições e população e o respeito pela nossa história”.

O presidente da Direção da Casa do Povo de Alvalade, Luís Silva, evidenciou o facto de esta Estrutura Residencial para Pessoas Idosas representar “uma aposta de grande dimensão” e de ser “uma obra que nos enche de orgulho”. O responsável destacou ainda o papel da Câmara Municipal de Santiago do Cacém ao longo dos anos, que “contribuiu de forma relevante ao colocar à disposição os terrenos para o Centro de Dia em 2003 e agora para a construção desta Estrutura Residencial”, para além de uma comparticipação financeira protocolada em setembro de 2014; bem como da Junta de Freguesia de Alvalade “em termos logísticos”, agradecendo também a várias outras pessoas e entidades determinantes para a edificação do equipamento.

Presente na ocasião, o ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares, sublinhou “a cooperação entre entidades e as dificuldades tremendas em fazer edificar uma obra como estas”, deixando um agradecimento a Luís Silva e à Casa do Povo de Alvalade “por tudo o que tem feito e que vai continuar a fazer” pela população local, realçando que “investimentos como estes são muito importantes”.

Em 2010, o Programa Operacional Potencial Humano (POPH) emitiu a aprovação da candidatura apresentada pela Casa do Povo de Alvalade para a construção da Estrutura Residencial para Pessoas Idosas na freguesia, com capacidade para 60 utentes, tendo as obras sido iniciadas em dezembro de 2011. Dos dois milhões e cem mil euros, a Casa do Povo de Alvalade teve uma importante comparticipação de 900 mil euros.

Partilhe esta notícia