O clube Os Indefectíveis nasceu em 3 de março do ano 2000, ao longo dos anos tem apostado na formação de futsal e já contam com 24 taças no seu palmares.

No ano de 2013 iniciou-se um novo ciclo no clube, com a criação duma equipa de futsal feminino.

O Distritonline esteve a acompanhar um treino e esteve à conversa com o treinador, José Ramalho e Inês Mestre, capitã da equipa e Joana Braga, considerada por muitos a melhor jogadora distrital da modalidade :

 

 

Distritonline: José Ramalho, depois de alguns anos afastado do Futsal, o que o levou a aceitar o convite de Os Indefectíveis?

José Ramalho: Tudo começou com um desafio que me propuseram, de treinar esta equipa feminina de futsal. Pareceu-me interessante e desafiador, para alguém como eu, que sempre treinou homens, começar a treinar uma equipa feminina.

 

DO: Quais as maiores diferenças em treinar uma equipa feminina e uma masculina?

JR: A meu ver é preciso mais rigor a treinar uma equipa feminina, é necessário ter outra postura, outra maneira de falar com elas, de qualquer modo o que tento incutir é o espírito que tinha com as outras equipas de seniores masculinas, e essa foi a maior dificuldade que tive, mas que já foi completamente ultrapassada.

 

DO: Na sua opinião, o que é que falta ao Futsal feminino para ter uma maior visibilidade, em termos distritais?

JR: É necessário haver mais raparigas a jogarem, mais equipas, criar uma dinâmica desportiva que fomente o gosto pela atividade. Nós aqui começamos com 8 jogadoras, e neste momento já temos 17. Isto porque umas chamam as outras, convidam as amigas a virem ver os nossos jogos e elas gostam, ganham entusiasmo por este desporto e inscrevem-se para treinar.

 

DO: Quais os apoios que a equipa de Futsal feminino tem neste momento?

JR: Os apoios neste momento são muito poucos, basicamente são os apoios da direção do clube e dos familiares mais próximos. Ainda existe um grande desconhecimento desta modalidade e não é dado o devido valor, e esse é um trabalho que temos vindo a fazer, projetar a modalidade.

 

DO: Neste momento a equipa encontra-se no primeiro lugar da tabela classificativa, a lutar para ir ao nacional. Quais os objetivos para esta época?

JR: Os objetivos para este ano são ganhar o campeonato distrital, a taça da Associação de Futebol de Setúbal (AFS), a Super Taça de Setúbal e subir ao nacional. Queremos ganhar tudo o que há para ganhar.

 

———————————————————————————————————————-

Distritonline: Quando começaste a jogar Futsal?

Inês Mestre: Comecei a jogar faz 4 anos.

 

DO: O que te levou a praticares esta modalidade tipicamente jogada por homens?

IM: Comecei desde muito nova a jogar futebol no Fabril, tinha 10 anos, posteriormente quando fiz os 14 anos tive de abandonar porque não existia mais escalões para as raparigas poderem jogar. Foi nessa altura que me surgiu um convite para ir jogar para a Casa do Benfica de Alcochete, e foi aí que eu ingressei no Futsal.

 

DO: Quais os teus objetivos pessoais em termos de Futsal?

IM: O meu sonho seria ir à seleção nacional sem dúvida alguma.

 

DO: Na tua opinião, o que é que fazia falta para o Futsal feminino ter maior destaque e mais apoios?

IM: Seria termos mais pessoas a assistirem aos jogos de Futsal feminino, sei que ainda existe certos estereótipos acerca do nosso tipo de jogo, sabemos que é mais lento do que praticado pelos homens, não obstante é um futebol que considero lindo de ser. Quem nos vem ver, fica fã.

 

DO: Qual a ambição que a equipa tem para este ano?

IM: Para este ano, e como sempre, a meta é ganharmos o campeonato distrital, se possível só com vitórias. É nesse sentido que trabalhamos todos os dias. Se formos campeãs distritais, vamos tentar subir ao nacional, e vencer a taça da AFS e a Super Taça.

 

———————————————————————————————————————

 

Distritonline: Sendo considerada uma das melhores jogadoras da distrital, ou talvez a melhor. Sentes o peso da responsabilidade e alguma pressão em cima de ti?

Joana Braga: Claro que sim, desde a época passada que sinto que tenho maior responsabilidade perante a equipa, não só por parte da equipa técnica que espera mais de mim, bem como por parte das minha colegas de equipa.

 

DO: Quais os teus objetivos pessoais e coletivos.

JB: Este ano vamos ter uma gala em Setúbal, que vai nomear a melhor jogadora do distrito, esse é o meu principal objetivo pessoal. Em termos coletivos, é sermos campeãs distritais e subirmos à nacional.

 

 

 

 

 

 

Partilhe esta notícia