Após ser conhecido o Relatório Anual dos Serviços de Águas e Resíduos  em Portugal referente ao ano de 2017, onde o Barreiro é destacado pela  negativa, a Juventude Popular (JP) do Barreiro pretende saber o que  foi feito em 2018 para mitigar este desperdício e quais os planos  futuros da autarquia com visto a uma redução significativa que  permita, a curto prazo, reduzir a factura da água dos barreirenses.

“Em 2017, o volume de água não facturada, isto é, desperdiçada antes  de chegar aos consumidores, rondou os 40%, um número considerado como  muito negativo pelas autoridades competentes, que coloca em causa a  sustentabilidade na gestão deste bem escasso mas também agrava o seu  custo para os barreirenses” alertou o presidente da JP Barreiro,  Hélder Leal Rodrigues.

Para a JP Barreiro, “importa saber o que foi feito pela autarquia, no  ano de 2018, para reduzir significativamente este número”.

“Só reduzindo significativamente o desperdício será possível, no curto  prazo, por um lado, reduzir a factura da água aos barreirenses e, por  outro, garantir a sustentabilidade ambiental deste bem escasso mas  essencial” concluiu o líder da estrutura barreirense.

A JP Barreiro recordou, também, que a redução da factura da água foi  promessa eleitoral do PS nas últimas eleições autárquicas, não tendo  sido ainda concretizada após 2 Orçamentos Municipais do actual  executivo.

Fonte:JPBarreiro

Partilhe esta notícia