Para a Juventude Socialista é fundamental a aplicação de um regime de alargamento dos horários de estudo nas bibliotecas no distrito de forma a responder às necessidades dos estudantes.

A Federação Distrital de Setúbal da Juventude Socialista aprovou, na passada Comissão Política Federativa, uma moção no sentido de promover, junto dos municípios do distrito de Setúbal, o alargamento dos horários das bibliotecas e a criação de espaços dedicados a estudo.

Consciente das necessidades dos estudantes do nosso distrito, a JS considera que os horários de funcionamento das bibliotecas não correspondem às suas necessidades, uma vez que, em época de exames, teste e frequências se revelam claramente insuficientes.

O Presidente da Federação Distrital de Setúbal da JS e Deputado à Assembleia da República, Ivan Gonçalves, considera que “o distrito de Setúbal tem todas as condições para se afirmar enquanto distrito inovador e qualificado, uma vez que, ao mesmo tempo que é um dos mais jovens do país, é também um dos que possui uma oferta educativa de qualidade, nomeadamente ao nível do ensino superior”.

As bibliotecas municipais devem ocupar um espaço de excelência, abrangente e adequado para a promoção do sucesso académico dos habitantes de todo o distrito. O aumento da frequência de estudo, sobretudo durante a época de exames, encontra fortes limitações resultantes da falta de disponibilidade horária oferecida pelas bibliotecas municipais.

Esta tomada de posição da Juventude Socialista, de âmbito distrital, é o primeiro passo num processo que culminará com a apresentação de propostas nos órgãos autárquicos de cada município, que tendo em conta a realidade específica de cada concelho, permitam criar ou melhorar as condições de estudo nas bibliotecas municipais ou em espaços criados para o efeito no nosso distrito. Segundo Ivan Gonçalves, “considerando o nosso objetivo, que julgamos ser comum à maioria das forças políticas, de promover o reforço das qualificações dos portugueses, cabe aos municípios fazerem a sua parte e, neste caso, isso começa por melhorar a oferta de espaços de estudo para a comunidade, bem equipados e disponíveis pelo maior tempo possível”.

Partilhe esta notícia