Foi publicado, no dia 30 de setembro, em Diário da República, o lançamento do Concurso Público para a empreitada que vai dar um novo rosto à Costa de Santo André, a cargo da Polis Litoral Sudoeste − Sociedade para a Requalificação e Valorização do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, S. A.

Este é um avanço importante para a tão desejada requalificação da Costa/Lagoa de Santo André, cujo projeto foi apresentado à população no dia 5 de março deste ano. Na altura, Álvaro Beijinha, Presidente da CMSC, recordou que “ao longo de mais de 20 anos – desde a desocupação da duna primária – que temos vindo a procurar solução para este problema. Durante anos, em inúmeras reuniões junto das várias entidades que tutelaram o espaço, reivindicámos reiteradamente a resolução do problema”. À data, o Presidente da CMSC lamentou ainda a atuação do Estado ao longo dos anos: “no concreto, nunca fez nada para resolver o problema”.

Os objetivos principais da requalificação, que apresenta uma grande componente de proteção ambiental, passam por reordenar os acessos rodoviários e estacionamentos; reordenar os acessos pedonais; garantir o cumprimento dos requisitos para a categoria de praia acessível; proteger os sistemas naturais, nomeadamente as dunas; criar um percurso de visita ao monumento de homenagem aos 17 pescadores falecidos na tragédia que ocorreu em 1963; criar infraestruturas de apoio à prática balnear; e criar um percurso ambiental pedagógico.

A intervenção tem um custo estimado de 680 mil euros, onde o Município de Santiago do Cacém assegurará uma importante comparticipação financeira do valor total da obra, na ordem dos 120 mil euros. A expectativa da Polis Litoral Sudoeste aponta para a conclusão da obra antes do início da época balnear 2015.

 

 

Fonte: CMSantiago do Cacém

Partilhe esta notícia