João Afonso, líder da bancada do PSD na Assembleia Municipal do Montijo, acusa a autarquia de não realizar qualquer iniciativa junto dos comerciantes para os esclarecer e ajudar na implementação de medidas de modernização dos estabelecimentos comerciais, ao contrário do que se passou noutros concelhos.

O social-democrata explica que estão à disposição dos comerciantes as novas medida “Comércio Investe”, estruturada no âmbito do Fundo de Modernização do Comércio-FMC que entrou em vigor no dia 25 de Julho de 2013 e representa uma nova fase de apoio à atividade comercial.

O novo fundo de modernização foi financiado com as receitas das taxas aplicadas às grandes superfícies comerciais e destinam-se ao apoio ao comércio tradicional. São também abrangidas pela medida “Comércio Investe” projetos de individuais destinados a microempresas e projetos conjuntos.

Atualmente está em curso a segunda fase do “Comércio Investe“ sendo que as candidaturas vão decorrer de forma faseada terminando o prazo dos projetos para micro empresas em 27 de março e para projetos conjuntos em 13 de abril.

O incentivo financeiro a conceder assume a natureza de incentivo não reembolsável, correspondente a 40 % das despesas elegíveis, não podendo ultrapassar o valor de € 35.000 por projeto individual.

João Afonso acrescenta que a Câmara Municipal e o seu presidente se “esquecem sistematicamente” dos comerciantes do concelho do Montijo.

“A falta de divulgação e promoção destas medidas por parte do executivo municipal do Partido Socialista conduziu a que os comerciantes do centro da cidade não tivessem conhecimento, e preparado atempadamente as suas candidaturas a estes apoios, tão necessários à sua modernização”, sublinha.

O deputado municipal do PSD diz ainda que “uma vez mais se verifica neste momento difícil a falta de políticas e estratégia para o comércio tradicional acarretando no desperdício potencial de várias dezenas de milhares de euros de investimento”.

“Os montijenses não deverão esquecer que o atual executivo é o mesmo que em 2011 e 2012 perdeu cerca de três milhões e meio de fundos comunitários”, recorda, acrescentando ainda que “o executivo socialista enredado em purgas internas esquece que o Montijo existe”.

Partilhe esta notícia