Após um período para obras de qualificação do espaço e reestruturação do seu funcionamento, a Loja Comunitária do Barreiro, sita no Pateo Albers, nº 14, reabriu, hoje, dia 1 de março, as portas à comunidade.

Coordenada pela União de Freguesias do Barreiro e Lavradio, é um projeto de parceria que conta com a participação da Câmara Municipal do Barreiro, a NÓS – Associação de Pais e Técnicos para a Integração do Deficiente, a Associação Centro Jovem Tejo e o Centro Social e Paroquial Padre Abílio Mendes.
Constitui-se como um recurso complementar no combate à pobreza, na medida em que pode atenuar algumas necessidades imediatas das famílias carenciadas, através da criação de um banco de bens, novos ou usados, doados por particulares ou empresas.
A Loja Comunitária estará, assim, em funcionamento e disponível, com o apoio de um grupo de voluntários, para receber da comunidade, e atribuir gratuitamente a munícipes que se encontrem em situação de vulnerabilidade social, vestuário e calçado de adulto e criança, artigos de bebé, têxteis, produtos de higiene pessoal e habitacional, equipamento doméstico, brinquedos, material didático e outros bens, nos seguintes dias e horários: terças e quintas-feiras, entre as 15h00 e as 17h30; quartas-feiras, entre as 10h00 e as 12h30.

Ana Porfírio, Presidente da União das Freguesias do Barreiro e Lavradio, agradeceu a todos – autarquias, associações, voluntários, etc. – os que se empenharam em renovar o espaço. “Com o esforço de todos, conseguimos ter um espaço com mais brilho e condições”. Ana Porfírio dirigiu palavras de apreço aos voluntários – “sem vós não era possível” – e aos utentes.
A Vereadora responsável pela Intervenção Social, Regina Janeiro, salientou que o objetivo maior “é que um dia haja um mundo novo, sem desigualdades sociais, onde espaços como este não sejam necessários”. Porém, “enquanto não há esse mundo novo”, a criação de espaços como a Loja Comunitária visam atenuar a gravidade dos problemas. “É uma resposta articulada entre os voluntários, as associações que têm o conhecimento, e a capacidade de gestão e financeira das autarquias”, afirmou a Vereadora.
Refira-se que esta iniciativa enquadra-se no projeto “Barreiro Solidário – Movimentar Vontades”, que preconiza a dinamização de uma ação social pró-ativa, assente em princípios nucleares, tais como o reconhecimento da igualdade de oportunidades como forma de combater as desigualdades sociais, a intervenção baseada numa lógica de responsabilização e o desenvolvimento de medidas territoriais, através da criação de dinâmicas de potenciação dos recursos e competências locais.

Partilhe esta notícia