A deputada do PSD do Distrito de Setúbal, Maria Luís Albuquerque, acredita que os refugiados vão ser bem acolhidos em Portugal, tal como os portugueses o foram nos países para onde emigraram.

Na sequência da iniciativa Parlamento dos Jovens, realizado segunda-feira na Escola Básica de Alembrança, no concelho de Almada, subordinado às temáticas do racismo, preconceito e discriminação, a social-democrata defendeu que actualmente existe “uma grave crise humanitária”, onde estão em causa refugiados, homens, mulheres e crianças, que fogem da guerra e da perseguição.

Não podemos criar o estigma que estas pessoas são todas elas terroristas. Isso é o que os responsáveis por todo este conflito querem que exista”, acrescenta.

Maria Luís Albuquerque está confiante de que os portugueses “vão saber acolher e integrar os refugiados, tal como outros fizeram com os nossos imigrantes”.

Realçou ainda a importância de combater o racismo, o preconceito e a discriminação de qualquer tipo, afirmando que “racismo e inteligência são incompatíveis. Ninguém inteligente pode acreditar que alguém é melhor ou pior pela cor da sua pele”.

Também Pedro do Ó Ramos esteve presente numa iniciativa idêntica, na Escola Secundária Romeu Correia, em Almada, abordando as assimetrias entre o litoral e interior.

É importante que se continuem a implementar medidas para que as pessoas se fixem no interior, destacando as de âmbito fiscal, quer para os cidadãos, quer para empresas. Na realidade, só se combate, com sucesso, a desertificação, com a criação de investimento e emprego nesses territórios de baixa densidade”, realça o deputado do PSD.

Partilhe esta notícia