No passado sábado, 16 de abril, a Mata Nacional da Machada recebeu o Colóquio “À conversa sobre invasoras”, promovido pelo Centro de Educação Ambiental (CEA) da Mata da Machada e Sapal do Rio Coina, da Câmara Municipal do Barreiro (CMB), que contou com a presença da especialista em invasoras, Elisabete Marchante.

 

Com cerca de 40 participantes, pretendia-se, conforme sublinhou a Vereadora da CMB, responsável pelo CEA, Teresa Costa, que, embora “informal e muito no terreno”, tivesse como “objetivo a troca de experiências”, que acabou por se concretizar. Tratou-se de “ver como estava o projeto Life, daí ter-se resolvido por esta tipologia muito vocacionada para os voluntários”.

 

Teresa Costa regista as sugestões, nomeadamente “de utilização de outras técnicas”, sendo, ainda, intenção o reforço da divulgação e a aposta em novos públicos, num projeto que envolve, já, cerca de 1400 voluntários, com 95 talhões “adotados”.

 

Teresa Costa sublinha, ainda, o “importante apoio da equipa técnica”, constituídos por dois ou três reclusos do Estabelecimento Prisional do Montijo, cujo contributo a Vereadora enaltece.

 

Esta ação, no âmbito do Projeto Biodiscoveries (financiado pelo Programa Life), teve o acompanhamento do Projeto Invasoras.pt da ESAC/IPC e CEF/UC, da Floradata (responsável pela monitorização do projeto Biodiscoveries) e dos participantes que já integram o Biodiscoveries.

 

A próxima iniciativa está agendada para 13 de maio, com a presença na Mata de um grupo de cerca de uma centena de voluntários do Montepio.

Partilhe esta notícia