O presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, informou na reunião de câmara de 30 de setembro ter enviado um ofício de resposta à Secretaria de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, a propósito do Memorando de Entendimento sobre o Desenvolvimento de um Plano de Expansão Alternativo da Capacidade do Aeroporto de Lisboa, enviado por esta entidade ao Município do Montijo.

Nuno Canta revelou que a Câmara Municipal do Montijo não pode avançar para a assinatura do memorando porque exige uma maior clarificação relativa às infraestruturas necessárias à utilização da Base Aérea n.º 6 como aeroporto civil, as quais constam de um caderno reivindicativo apresentado junto da ANA Aeroportos. Entre essas infraestruturas encontra-se, por exemplo, a conclusão da Circular Externa do Montijo.

No ofício de resposta, a autarquia pediu, ainda, o esclarecimento das questões relacionadas com as compensações relativas aos impactos ambientais e ao licenciamento municipal.

O presidente da Câmara Municipal do Montijo reafirmou a sua “total concordância com à instalação de um aeroporto alternativo na Base Aérea N.º 6. Contudo não podemos assinar um documento que não defende os interesses e as necessidades do município do Montijo”, acrescentando que é necessário o aprofundamento da cooperação entre as várias entidades envolvidas neste processo para a elaboração de um documento que corresponda às pretensões das várias partes.

Partilhe esta notícia