Maria Luís Albuquerque, cabeça-de-lista da coligação PSD/CDS-PP “Portugal à Frente” para o distrito de Setúbal, sublinhou que “apesar da grave crise que afectou o país, os residentes no distrito de Setúbal souberam ser resilientes e demonstraram que o distrito de Setúbal tem capacidade para ajudar o país a dar a volta”.

Em visita ao Barreiro numa acção de campanha para as eleições legislativas, a ministra das Finanças reconheceu que o desemprego é o “maior problema” do distrito de Setúbal, mas prometeu que “o Governo irá continuar a trabalhar para criar mais postos de trabalho”.

“O Governo nunca esteve de costas voltadas para Setúbal”, afiançou Maria Luís Albuquerque, justificando que “o Governo teve uma tarefa muito difícil nos últimos quatro anos, mas, apesar das restrições económicas, nunca deixou de acudir às necessidades mais prementes da população”.

Em relação aos investimentos estruturantes para a região a cabeça-de-lista da coligação PSD/CDS-PP “Portugal à Frente” para o distrito de Setúbal, por onde foi eleita pela primeira vez há quatro anos, mostrou-se optimista. A ligação ferroviária ao porto de Sines irá “potenciar o crescimento do Porto”.

“Os estudos iniciais indicam que a actual base área do Montijo é uma boa opção para complementar o aeroporto da Portela. E, eu espero que seja considerada a melhor opção”, revelou, frisando que “a decisão ainda não está tomada e, por isso, ainda não é possível garantir que o aeroporto para as companhias low cost no Montijo vai avançar”.

Relativamente ao Terminal de Contentores no Barreiro, a ministra admitiu que este tem sido “um assunto controverso, sobretudo devido às questões ambientais”, mas mostrou-se disponível para “ajudar a que o Barreiro seja o destino escolhido para a instalação da nova infra-estrutura portuária”.

Questionada se o Governo pretende recuperar o ‘dossier’ da Terceira Travessia do Tejo, a ministra foi perentória em assegurar que “esse investimento não pode ser equacionado nos anos mais próximos”, porque “seria demasiado pesado para o erário público”.

O distrito de Setúbal vai contar com mais um lugar de deputado à Assembleia da República nas eleições de Outubro e  Maria Luís Albuquerque prometeu “lutar muito para que esse deputado seja conquistado pela coligação PSD/CDS-PP”.

“Há sinais claros de recuperação”, vincou a governante, defendendo que “todos os indicadores económicos são positivos e a consistência dos sinais revela que o país está a recuperar”.

Os próximos anos, caso a coligação seja eleita, serão marcados por uma estratégia coerente, mas também pelo “rigor e prudência”. “Não nos vamos ver livres do rigor das contas públicas, espero, sinceramente, que isso não aconteça nos próximos anos. Infelizmente, já sabemos o preço a pagar quando as contas públicas não são sustentáveis e as consequências são o desemprego, maior pobreza, recessão, dificuldades para as empresas e falências, por isso teremos que continuar a manter o rigor e a prudência e, sem deitar tudo a perder, ir restituindo os rendimentos e reduzir a carga fiscal para as empresas e para as pessoas, de forma a que todos possamos respirar um pouco melhor”, defendeu.

Partilhe esta notícia