A Ministra do Mar visitou demoradamente nesta segunda-feira o Porto de Setúbal, tendo sido recebida na APSS pela Presidente do Conselho de Administração, Lídia Sequeira, e restantes membros do CA.

 

Na ocasião, Ana Paula Vitorino elencou as prioridades para o Porto de Setúbal, nomeadamente a melhoria das acessibilidades marítimas, a otimização dos acessos ferroviários e rodoviários aos terminais e a atualização da Janela Única Portuária (JUP), investimentos que serão integrados num plano a apresentar em breve.

 

Desde logo em dragagens de aprofundamento e alargamento do canal da barra, para que navios com maiores dimensões possam integrar o porto nas suas escalas, tornando-o mais competitivo num hinterland alargado, com o correlato incremento da segurança marítima.

 

A melhoria das acessibilidades ferroviárias, manutenção da rede existente e reordenamento que obvie a alguns constrangimentos – otimizando o fluxo de cargas dos terminais, melhorando o seu escoamento -, foram outras prioridades sublinhadas pela governante, alicerçadas numa assinalável tendência de crescimento do transporte de mercadorias por via ferroviária, transporte esse que, sublinhe-se, é já de si significativo.

 

E há mais um desafio a cumprir a breve trecho: a atualização da Janela Única Portuária (JUP), de molde a proporcionar uma maior simplificação e harmonização dos procedimentos administrativos associados à entrada e saída de navios do porto, à semelhança do que já existe nos principais portos nacionais.

O programa incluiu ainda deslocações a diversas instalações de serviços e terminais portuários, públicos e de uso privativo do Porto de Setúbal, reveladoras da capacidade instalada – que o tornam um porto essencialmente exportador, com mais de 67% de mercadorias exportadas entre o total movimentado -, e a áreas de expansão futura, que permitiu à Ministra inteirar-se in loco da atividade nos vários terminais.

 

A saber:

 

Operados pela Tersado e Sadoport (terminais utilizados como bases exportadoras para empresas tão importantes como a Portucel, Cimpor, Siderurgia Nacional, entre outras, e que têm ligações regulares com o Norte da Europa, África e Mediterrâneo, atualmente com grande crescimento de carga contentorizada, segmento que registou, no primeiro quadrimestre de 2016, um crescimento superior a 38%, sendo também o Porto de Setúbal líder no tráfego de carga geral fracionada);

 

Operados pela Sapec (onde, para além dos terminais de granéis sólidos e líquidos, também visitou a plataforma logística e industrial da SAPEC Bay);

 

O Terminal Roll-on Roll-off (RoRo, veículos), incluindo o Terminal da Autoeuropa (Volkswagen), infraestruturas muito importantes, pois Setúbal é líder nacional, com cerca de 95% no tráfego Ro-Ro de viaturas ligeiras novas, com ligações regulares com o Norte da Europa, Mediterrâneo, Norte da América e Extremo Oriente;

 

Os estaleiros da Lisnave, importante e sólida empresa de reparação naval;

 

O Terminal da Termitrena, privativo, onde Secil e Cimpor fazem a movimentação granéis, clínquer e petcoque.

 

A jornada da Ministra do Mar em Setúbal incluiu um almoço informal que contou com a presença da Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, do Presidente da Comunidade Portuária e do Capitão do Porto, para além da Administração da APSS.

 

Partilhe esta notícia