Manuel Heitor no lançamento oficial da Universidade Europeia E³UDRES²

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior português, Manuel Heitor, realçou ontem a “urgente relevância” das redes de instituições de ensino superior na Europa para reforçar o esforço de recuperação pós-pandemia. “É tempo de ação”, apelou, no âmbito do lançamento oficial da Universidade Europeia E³UDRES², uma aliança que une o Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) a cinco parceiros europeus, da Áustria, Hungria, Bélgica, Roménia e Letónia.

Na abertura da conferência online, que prossegue hoje sob o tema geral “Rumo às universidades do futuro para regiões inteligentes e sustentáveis”, o governante lembrou que, além da crise pandémica e dos seus efeitos devastadores a nível social e económico, a Europa depara-se igualmente com uma crise de “escassez de talento”. 

Nesse sentido, apontou a Universidade Europeia E³UDRES² e alianças congéneres como “uma oportunidade única para as instituições de ensino superior se mobilizarem, junto com os seus stakeholders, assegurando que podemos mobilizar todos os atores a nível europeu para a concretização dos planos de recuperação e resiliência dos diferentes países”

Numa altura em se aceleram os passos rumo à transição digital e ecológica, duas das linhas de ação definidas pela Presidência Portuguesa da União Europeia, o “Ensino Superior, em estreita articulação com a Investigação e a Inovação, está a ganhar particular relevância”, adiantou Manuel Heitor, apontando ainda duas outras áreas em que é urgente agir. Não só na dimensão da resiliência, “para prevenir futuras crises”, como também de uma Europa Social, sendo que “o combate às desigualdades sociais que persistem só pode ser conseguido com uma maior qualificação da população de uma forma geral”. 

E³UDRES², sigla inglesa de Universidade Europeia Empreendedora e Envolvida como motor para Regiões Europeias Inteligentes e Sustentáveis, é um projeto financiado pela Comissão Europeia, com um investimento global de cerca de cinco milhões de euros, sendo uma das 41 universidades europeias criadas por iniciativa comunitária.

“Estamos particularmente satisfeitos com o vosso foco no desenvolvimento de pequenas e médias cidades e regiões. Queremos testar vários modelos de cocriação e com esta vossa aliança encontrámos um nicho muito específico”, referiu também na ocasião Tine Delva, responsável pela Unidade de Ensino Superior da Comissão Europeia, felicitando a E³UDRES² pelo seu “papel pioneiro e de construção de um caminho para outros”.

A responsável realçou igualmente como pontos fortes o projeto de um campus multi-universitário, unindo as seis regiões europeias, o conceito delaboratórios vivos, onde estudantes, investigadores e parceiros podem trabalhar juntos, a ênfase na aprendizagem baseada em desafios/projetos ou ainda a inovação centrada no ser humano

O consórcio, coordenado pela St. Pölten University of Applied Sciences (Áustria), integra, para além do IPS, a Hungarian University of Agriculture and Life Sciences (Hungria), a UC Leuven-Limburg (Bélgica), a Politehnica University Timișoara (Roménia), e a Vidzeme University of Applied Sciences (Letónia). 

A sua grande missão é fazer das instituições de ensino superior parceiras verdadeiras alavancas do desenvolvimento das regiões onde se inserem, em resposta aos grandes desafios societais, ambientais e económicos do século XXI, no quadro de um novo Espaço Europeu Comum de Educação, Investigação e Inovação, que se quer construído por todos, entre as comunidades académicas e a população e organizações dos territórios envolvidos.

Mais informações sobre o projeto em https://eudres.eu/.