A Câmara Municipal do Montijo celebrou, no dia 13 de julho, contratos de comodato com dois munícipes para a criação de novas hortas urbanas no jardim da Quinta do Saldanha.

À semelhança da boa prática já implementada por outros dois munícipes no mesmo local, Eva Pinto e Tomás Henriques Júnior manifestaram à câmara a sua pretensão de preservar e cuidar de espaços (floreiras) na Quinta do Saldanha, através da criação de hortas urbanas.

O presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, mostrou a sua satisfação por mais estes dois contratos de comodato, classificando-os como “uma parceria entre a câmara e a comunidade que permite dar maior utilidade ao espaço existente naquele jardim histórico da cidade”.

O autarca referiu, ainda, a importância da política ambiental preconizada pela câmara que tem permitido a preservação dos solos e de outras questões ambientais, fundamentais para uma cidade e um concelho que aposta no desenvolvimento sustentável.

Para a Câmara Municipal do Montijo, a criação de hortas urbanas é uma forma de preservar o património municipal, dinamizar estilos de vida saudáveis por via do envolvimento comunitário, promovendo um sentimento de pertença da população ao território.

Os contratos de comodato assinados entre a câmara e os dois munícipes dizem respeito a uma área de terreno total de 129,4 m2 que só pode ser utilizado para cultivo de diversas espécies vegetais e hortícolas que devem ser utilizadas para consumo próprio ou comunitário, sem quaisquer finalidades lucrativas. Os contratos têm a validade de um ano, podendo ser renovados por iguais períodos.

Partilhe esta notícia