Os trabalhos de consolidação e melhoria da muralha até à praia do Clube Naval Barreirense (CNB) e, consequentemente, prolongamento do Passeio Augusto Cabrita, iniciam-se na próxima segunda-feira, dia 10 de novembro, estando prevista a sua conclusão até final do primeiro semestre de 2015.

Esta intervenção resulta do trabalho conjunto entre a Câmara Municipal do Barreiro (CMB) e a Administração do Porto de Lisboa (APL), no quadro da candidatura REPARA, e que, por ausência de financiamento comunitário, tinha, até aqui, sido adiada, mas, por insistência das duas entidades, retoma, agora, a possibilidade de realização.

Com um prazo de execução de nove meses, será efetuada a consolidação e reconfiguração da frente de Rio com a construção de aproximadamente 600 metros de muralha na continuidade da existente, construção de rampa varadouro, junto ao CNB, e escadas de acesso à água, e reparação da caixa de areia da praia do CNB.

A continuidade do passeio ribeirinho consiste nesta fase, na construção de passeio e ciclovia, criação de zonas de estadia e contemplação, com plataformas sobre a muralha ao longo da nova linha de contenção de Rio. Nas zonas de estadia encontram-se previstos “cubos” contemplativos (bancos), enquadrados de modo harmoniosamente desalinhado da linha de muralha.

“Esta frente de Rio, pela sua amplitude de vistas, tem condições para ser um amplo observatório do Rio, que, aliás, já o é na prática; mas consideramos que criando condições para uma estadia mais confortável, para a prática desportiva ou para percursos de lazer, será, ainda, mais usufruída pela população, aproximando, ainda mais, os barreirenses dos nossos rios”, defende o Vereador do Planeamento, Rui Lopo.

“A requalificação desta e de outras áreas ribeirinhas evidencia a melhoria que se tem procurado introduzir nos últimos anos, no que diz respeito a uma mais íntima e direta relação com as nossas frentes ribeirinhas. Tem sido possível, à medida que algumas das intervenções se concretizam, usufruir e dar a descobrir, ímpares e singulares miradouros que nos oxigenam o corpo a alma e o espírito”, sublinha o responsável.

Dada a natureza da obra, irão ocorrer, durante as diferentes intervenções, alguns condicionalismos na circulação automóvel, pronta e atempadamente divulgados pela CMB, garantindo-se, sempre, uma alternativa efetiva de acessibilidade e mobilidade na área da intervenção.

“Está prevista ainda, numa segunda fase, a introdução nas plataformas sobre a muralha de elementos / esculturas de sombreamento, cuja forma, em asa de gaivota, remete para elementos com forte ligação ao local e à figura de Augusto Cabrita, que tantas e tantas vezes fotografou as silhuetas e voos dessas aves que, diária e continuamente, nos sobrevoam”, conclui o Vereador.

Partilhe esta notícia