No penúltimo dia do Festival de Almada, entra em cena a companhia Um Marido IdealDois dias para terminar o Festival mas ainda há muito para ver. O criado, entra em cena e pode ser visto a três horas distintas: às 15h, às 18h, e às 21h30, no Salão de Festas da Incrível Almadense. 
Às 16h, o Mártir, vai estar na Sala Experimental do TMJB. Às 18h, no Fórum Romeu correia, pode ver A criada Zerlina.

Às 21h, Turismo, na Sala Principal do TMJB.Por último, às 21h30, na Academia Almadense, a Compañia Agnés Mateus e Quim Tarrida, de Barcelona, apresenta Rebota rebota y en tu cara explota.

O criado (Salão de Festas da Incrível Almadense, dias 25 e 26, às 15h, às 18h, e às 21h30) M/12 1h 

Baseado na novela The Servant, do escritor inglês Robin Maugham(1916-1981, sobrinho do bastante mais conhecido Somerset Maugham), que Harold Pinter e Joseph Losey adaptaram ao cinema em 1963, o espectáculo explora a artificialidade dos papéis sociais e as razões e os modos dessas construções. Cinematográfico, transpõe para uma linguagem contemporânea do teatro (designada por vezes por intermédia) uma curiosa paisagem humana, na qual se apresentam os actores como servidores dos encenadores e o público como um corpo de voyeurs. Contendo duas partes, o espectáculo começa por evocar Dirk Bogarde (1921-1999), que protagonizou no filme interpretando o papel de Barrett, um criado maldoso que subverte a mais comum relação predatória, e cuja existência foi marcada pela recusa da normatividade então vigente.

DE Robin Maugham ADAPTAÇÃO E ENCENAÇÃO André Murraças CENOGRAFIA André Muraças VÍDEO Miguel Leitão INTERPRETAÇÃO André Murraças (em palco) Anabela BrígidaAndré PatrícioHenrique de CarvalhoIsabel Milhanas MachadoNuno Gonçalo Rodrigues (em vídeo)

Todas as informações em ctalmada.pt