As Conversas no Bairro terminaram sob o signo do desenvolvimento económico do concelho, no dia 18 de julho, na Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões.

Presidente da Câmara Municipal do Montijo, munícipes e a equipa do Plano Diretor Municipal do Montijo (PDM) realçaram a importância de criar na zona de Pegões espaços destinados às atividades económicas, perspetivando-se na revisão do PDM uma área de 72 hectares em Pegões Gare para esse propósito.

Nuno Canta, presidente da Câmara Municipal do Montijo, reafirmou que um dos eixos estratégicos da revisão do PDM é exatamente “o desenvolvimento económico, a criação de emprego e de riqueza”. “A câmara está empenhada em valorizar a centralidade do território de Pegões, em aprofundar a produção agrícola e florestal, aumentar a agroindústria e estudar os custos de contexto das empresas inseridas na NUTII da Área Metropolitana de Lisboa (AML)”, enalteceu.

O presidente afirmou, aliás, que “defende a criação de uma sub-região da Península de Setúbal dentro da NUTII da AML como forma de alargar a captação de investimento para Pegões e Canha”.

Outra preocupação evidenciada pelos munícipes foi a possibilidade de construção nos atuais casais do Colonato de Pegões. Para resolver este problema, a revisão do PDM vai contemplar um Plano de Intervenção no Espaço Rural que permitirá convergir os interesses dos particulares com a salvaguarda do interesse público na manutenção da integridade arquitetónica do Colonato de Pegões.

Por último, em debate esteve também a necessidade de infraestruturação ao nível do abastecimento de água e asfaltamento de vias rodoviárias, nomeadamente em Santo Isidro de Pegões.

Nuno Canta salientou o trabalho efetuado pela câmara nesta área e explicou as atuais limitações financeiras das autarquias em Portugal. Contudo, ressalvou que está empenhado na obtenção de novas oportunidades de financiamento para este tipo de infraestruturas, nomeadamente no âmbito dos próximos fundos comunitários, o Portugal 2020.

Esta foi a última sessão da 1.ª fase da iniciativa Conversas no Bairro que, desde março, esteve a debater com a população a revisão do Plano Diretor Municipal com o objetivo principal de criar um documento mais transparente, aberto e participado.

Partilhe esta notícia