O candidato da coligação PSD/CDS-PP “Muito Mais Montijo” às eleições autárquicas, João Afonso, acusa o presidente da Câmara Municipal, Nuno Canta, de nada fazer face à progressiva degradação do serviço de saúde no concelho.

“O presidente da autarquia está sentado confortavelmente, a ver as dificuldades que os montijenses passam cada vez mais no acesso aos serviços de saúde no Montijo, recusando-se a defender os interesses da população”, afirma o candidato.

A criação pelo Partido Socialista do Centro Hospitalar Barreiro-Montijo, em 2008, revelou ser “uma péssima opção para os interesses dos montijenses”, considera.

João Afonso recorda que antes da criação do Centro Hospitalar, o Hospital do Montijo contava com um quadro de médicos próprios, com farmácia, com cirurgia, com camas de internamento cirúrgico, com um serviço de urgência e com várias especialidades médicas.

“Hoje o Hospital do Montijo não passa de um mero anexo do Hospital do Barreiro, que não responde minimamente às necessidades da população especialmente a população mais envelhecida e carenciada”, sublinha.

Para o candidato da coligação Muito Mais Montijo, a “decadência” do serviço de saúde no concelho está bem espelhado no “mau serviço de urgência, que só não é pior graças ao esforço dos enfermeiros”.

“O Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Nuno Canta não têm qualquer ideia ou projeto para o Hospital do Montijo”, realça, dando como exemplo acordo com o Hospital Garcia de Orta (Almada) para instalar um serviço de Medicina Interna nas instalações do Montijo usando os auxiliares e enfermeiros deste hospital. Contudo, apenas os doentes de Almada podem beneficiar deste serviço, estando os montijenses impedidos de aceder ao mesmo e ainda por cima na sua unidade hospitalar de referência.

“Este episódio revela mais uma vez a total incompetência de Nuno Canta na defesa dos legítimos interesses dos montijenses”, conclui.

 

Fonte: A Coligação PSD/CDS-PP “Muito Mais Montijo”

Partilhe esta notícia