Nuno Carvalho esclareceu as razões da sua demissão como vice-presidente da Santa Casa da Misericórdia de Setúbal e a consequente desistência à Presidência, bem como algumas notícias que têm sido vinculadas por alguns órgãos de comunicação social.

Em junho passado Nuno Carvalho apresentou o seu programa para a sua candidatura a Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Setúbal, no entanto acabou por desistir da sua candidatura aquando do conhecimento de alegadas irregularidades.

A sessão realizou-se no dia 26, no mesmo dia em que decorreram as eleições e após o termino da mesma, Nuno Carvalho decidiu falar aos irmãos, exigindo esclarecimento ao provedor e ao presidente da mesa da assembleia geral, acerca das alegadas irregularidades nas contas da misericórdia bem como em todo o processo eleitoral, em que vários irmãos não conseguiram votar e afirmou “dezenas de irmãos tentaram praticar o seu direito de voto e foram impedidos de o fazer”.

No inicio do mês de novembro, Nuno Carvalho, havia denunciado a existência de “um processo em curso, promovido pelo Ministério Público, referente a alegados desvios de dinheiro, que poderão ascender a 500 mil euros no período compreendido entre os anos de 2008 e 2012” e diz ter em posse documentos que comprovam ter havido o que considera um desfasamento entre o orçamento aprovado e as contas realizadas.

Já no que diz respeito às notícias que têm sido vinculadas por alguns órgãos de comunicação social, Nuno Carvalho disse que “as questões internas da Misericórdia são discutidas nos órgãos próprios” e “não podem andar na praça pública”, pois tal “causa inquietação e incerteza” ao funcionamento da instituição.

No final da sessão foi assinado por vários irmãos um abaixo-assinado, para que o bispo de Setúbal e o ministro se pronunciem sobre a situação atual da Misericórdia.

Segundo o jornal Correio da Manhã do dia de ontem, o Ministério Público já se encontra a investigar as contas da Santa Casa da Misericórdia de Setúbal.

Lembramos que hoje, vai realizar-se uma assembleia geral e o provedor apela a que “todos os irmãos que tenham dúvidas ou críticas compareçam e as coloquem”.

 

 

Fonte: Distritonline/Diário da Região/Correio da Manhã

Partilhe esta notícia