O deputado do PSD do Distrito de Setúbal, Nuno Matias, acusa a Câmara Municipal de Almada de querer controlar e censurar previamente as intervenção que serão feitas no Congresso de Almada, uma iniciativa promovida pela própria autarquia.

Nuno Matias, que também é eleito pelo PSD na Assembleia Municipal, diz que é inadmissível que um evento que é anunciado pela Câmara como “um passo numa caminhada de participação da qual Almada se orgulha”, esteja envolto num “manto de censura inadmissível”.

“Como é possível que numa iniciativa destas, que se quer participada e plural, seja exigido que as comunicações dos intervenientes tenham que ser previamente analisadas por uma Comissão Técnica Executiva?”, questiona.

O social-democrata diz que este é um “procedimento inaceitável”, tendo já enviado um documento ao presidente da Assembleia Municipal de Almada em que sublinha que “nunca se colocará numa posição em que só poderia usar da palavra depois de ter sido sujeito a uma avaliação”.

“É lamentável que o PCP queira controlar tudo e todos. Não é assim que pratica a democracia. Parece que em Almada em vez de se fazerem valer e preservar os valores de Abril, se continuam a praticar métodos da ditadura”, conclui.