Domingo, 11 de Dezembro, 23h no Continente menos uma hora nas Ilhas e lembrei-me agora que ainda não tinha escrito a minha (já) habitual crónica para o “Distritonline”.

O atraso resultou do “desafio” que me foi feito por alguns amigos, escrever sobre o eterno dérbi da Segunda Circular e deixar para Semana o défice; o referendo na Itália; as consequências “devastadoras” que o “brexit” tem causado a Libra e a economia inglesa – FTSE 250 e FTSE 350 do London Stock Exchange continuam a negociar no “vermelho”; a equipa que Trump escolheu para o acompanhar na presidência (pelo menos) nos próximos 4 anos; a “rapsódia”, com laivos de xenofobia, da possível prisão de Cristiano Ronaldo por eventual fuga ao fisco empolada pela mídia catalã- mais depressa há eleições legislativas em Espanha ou referendo pró-independência na Catalunha que CR7 ir para cadeia por tal motivo. Todos sabemos que não; o populismo de extrema -direita nunca teve tanta expressão na Europa ocidental desde 1945- o terreno está fértil para aqueles que querem colher os frutos do medo e da insegurança face ao futuro. E por fim… o facto de Portugal estar a tornar-se muito “cool” e exageradamente “gayfriendly”, por via de políticas esquerdistas que parecem querer acabar com o ideal de família que conhecemos – Um Pai e uma Mãe e “exterminar” das escolas as disciplinas que promovam religião e moral.

Assim sendo, deixei de lado a crónica que me preparava para escrever… Sinceramente, este fim-de-Semana não me apetecia muito acompanhar os sites das minhas “fontes”. Corri para o Café mais próximo de casa e escolhi o melhor lugar para ver o jogo – gosto de, nestes momentos, partilhar memórias de outros dérbis inesquecíveis – quem não se lembra do Sporting dos tempos do Manuel Fernandes e dos 7-1? Para não falar dos 6-3 da tarde/noite “endiabrada” de J.V.Pinto que catapultou o Benfica para o Título de Campeão Nacional 93/94.

Eis que chegamos às 18h e a BTV mostrava orgulhosamente imagens do Estádio da Luz a pinha – 64.000 pessoas – moldura humana fantástica que testemunhou, uma vez mais, a grandeza do Sport Lisboa e Benfica. Rui Vitória – qual “mister da táctica” fez apenas uma alteração no “onze”, em relação ao jogo contra o Nápoles. Alteração que produziu efeitos imediatos, uma vez que foi do “génio” de Rafa que surgiu cruzamento letal em trivela para o 1º golo – Sálvio a passagem do minuto 24 – primeira grande explosão de alegria na “Catedral”. O Campeão estava de volta… Jogadas fantásticas de parte a parte. Rui Patrício e Ederson tiveram que se aplicar… Duelo de “titãs” no meio-campo – Pizzi e Fejsa contra William e Adrien. Posse de bola 50/50.  Ai aquela bola no ferro de Bas Dost – quase que o coração me saltava. Rafa ainda fez-nos gritar “golo”! Mas acertou de mais na atmosfera e a bola só parou no 2º anel.  Os “leões” foram dignos vencidos – não tiravam o “pé do acelerador” e continuavam em busca da glória. E quando tudo parecia que poderiam fazer o empate, eis que surge novo momento de “génio” – cruzamento de Nélson Semedo e “já está” – de novo a “Catedral” aos pulos – Jiménez qual matador fez o 2-0.  Antes do jogo terminar, lembro-me de mais algumas jogadas perigosas em ambas as balizas, do sabor da super-bifana do Zé, da “Palinka” (Cachaça na Roménia) oferecida pelo porreiraço Vladimir – adepto benfiquista que veio de Bucareste ver o dérbi no café do cunhado. Já me ia esquecendo… Lembro-me também do golo do Sporting que deu para reduzir a desvantagem e animar o banco leonino.

 

Os minutos corriam e a vitória não mais escapava ao Benfica, que assim reforçou a Liderança da Liga NOS exibindo frieza, eficácia e estofo de Campeão.

Tetra à vista? Só o tempo dirá! Espero é que o Benfica não faça “corpo mole” à sombra da diferença pontual que tem sobre o 2º (F.C Porto) e 3º (Sporting), até porque ninguém é Campeão Nacional à 13ª Jornada.

Nota: As duas equipas voltaram a escrever uma página de ouro na história do futebol português. Com todo respeito pelo futebol de outras Ligas, mas o dérbi da Segunda Circular tem algo mais que os outros não têm – paixão e mística inesgotáveis. O de ontem teve também um clima fantástico. Abençoado dérbi.

Este foi um dos melhores “Benfica vs Sporting” que assisti, até começar o próximo.

 

Até para Semana, malta!

Assina: Manuel Mendes

Gestor Imobiliário

PS (Post Scriptum): Manuel Mendes opta por escrever na antiga ortografia da língua portuguesa.

Partilhe esta notícia