O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) e a Ordem dos Engenheiros (OE) assinaram na segunda-feira, [dia 9 de novembro], um protocolo de colaboração que visa fortalecer a cooperação entre as instituições nomeadamente naquilo que são os objetivos comuns no desenvolvimento do ensino e da prática da engenharia portuguesa. A celebração do protocolo contou com as intervenções do Presidente do IPS, o Prof. Doutor Pedro Dominguinhos, do Bastonário da Ordem dos Engenheiros, o Eng.º Carlos Ramos e do Presidente do Conselho Diretivo da Região Sul da OE, o Eng.º Carlos Aires.

Para o Presidente do IPS esta colaboração contribui para “aproximar, ainda mais, a Ordem dos Engenheiros do IPS, credibilizando de uma forma mais notória toda a formação do IPS”, acrescentando ainda que “juntar a Ordem, as empresas e as entidades de ensino superior é algo que é fundamental para que possamos atrair mais estudantes”. O IPS tem entre 2200 a 2300 estudantes nas áreas das engenharias e tecnologias, pelo que de acordo com o Prof. Doutor Pedro Dominguinhos este protocolo “é uma chancela para os estudantes, que concretizando os seus cursos de licenciatura ou mestrado, têm aqui uma porta para entrada na Ordem e para a vida profissional”.

A pertinência do ensino da engenharia foi sublinhada pelo Bastonário da Ordem dos Engenheiros, que afirmou que “só com bom ensino poderemos ter bons profissionais. É a partir daí que se cria o gosto, que se criam os mecanismos para que os próprios profissionais saibam ensinar a aprender […] portanto as Escolas são fundamentais para garantir a qualidade da engenharia”. Neste sentido, o Eng.º Carlos Ramos referiu também que através deste protocolo pretende-se “contribuir para o desenvolvimento do país […] e para a valorização das próprias Escolas que tanto têm dado ao nosso país”.

Por outro lado, o Presidente do Conselho Diretivo da Região Sul da OE relembrou a histórica ligação que a região de Setúbal tem com a indústria e a engenharia, revelando a sua grande expetativa face a este protocolo que “espero que seja o princípio de uma cooperação forte com a Ordem dos Engenheiros”. Na sua intervenção deu também a conhecer a possibilidade dos estudantes integrarem a Ordem enquanto membros estudantes, usufruindo dos mais variados benefícios como a participação em atividades da OE. A formação superior dos Politécnicos nesta área foi também elogiada pelo Eng.º Carlos Aires, pois “uma das maiores valências que os Politécnicos podem ter é fazerem formação contínua aos engenheiros e a atualização ao longo da vida”.

 

Na sessão marcaram também presença membros da comunidade académica do IPS e do Conselho Diretivo Nacional e da Região Sul da OE.

 

Partilhe esta notícia