Para o PCP,  esta decisão de fusão das administrações portuárias, além de não romper com o caminho da privatização e entrega ao capital estrangeiro deste importante e estratégico sector, aprofunda ainda as condições para a desvalorização de actividades tradicionais, como a pesca, e para o desinvestimento nas actividades marítimas ou turísticas, com prejuízos para o desenvolvimento local, o aparelho produtivo e o turismo. Uma decisão que não tem em conta as especificidades e valências dos portos de Setúbal e Sesimbra – os quais, no quadro de uma única administração, tenderão a uma ainda maior desvalorização quando aquilo que se exigia era o investimento e dinamização destes portos.
 
Em anexo, enviamos o texto completo da apreciação parlamentar. Estamos naturalmente disponíveis para mais esclarecimentos.
 
O Gabinete de Imprensa da DORS do PCP
Partilhe esta notícia