O setubalense Rafael Reis é o primeiro camisola amarela da 80.ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander, após ter vencido o prólogo da emblemática prova velocipédica que se realizou esta tarde em Setúbal.

 

Apesar do calor abrasador que se sentiu durante a tarde, a Doca dos Pescadores e a Avenida Luísa Todi encheram-se de público para assistir ao prólogo da 80.ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander.

 

Setúbal foi, pela primeira vez na história prova, a cidade da grande partida, com a realização de um contrarrelógio individual de 1,8 quilómetros, com início na Avenida José Mourinho, defronte da Doca dos Pescadores, e meta na Avenida Luísa Todi, junto do Auditório José Afonso.

 

Desde praticamente o início da prova que o jovem português César Martingil, da Liberty Seguros/Carglass aguardava pacientemente na cadeira do vencedor provisório para que ninguém ultrapassasse o tempo de 02m20s52 com que terminou o contrarrelógio.

 

No entanto, já ao cair do pano, Rafael Reis, da Caja Rural/Seguros RGA, um dos dez últimos ciclistas a partir para os 1,8 quilómetros da prova, conseguiu o tempo necessário para ser o primeiro camisola amarela da 80.ª Volta a Portugal em Bicicleta.

 

O atleta de 26 anos, natural de Setúbal e residente em Palmela, venceu com 02m18s96 no arranque da competição maior do ciclismo nacional, organizada pela Podium Events, com o apoio da Federação Portuguesa de Ciclismo e, localmente, da Câmara Municipal de Setúbal.

 

Rafael Reis parte amanhã com a camisola amarela na primeira etapa em linha da edição deste ano, que liga Alcácer do Sal a Albufeira, naquele que é um regresso da prova ao Algarve.

 

No final do prólogo, o jovem setubalense era o rosto da alegria, sobretudo por ganhar em casa. “Estou muito orgulhoso por ter vencido na minha terra natal. Ter a família e todos os meus amigos aqui presentes foi muito importante. É uma vitória mesmo especial.”

 

Rafael Reis confessou que este era um “prólogo bastante explosivo” e sabia que teria de “correr riscos para ganhar”. No entanto, reforçou, o fator chave foi, sem dúvida, “a motivação de correr em casa”.

 

Na festa de Setúbal, cidade que acolheu a Volta a Portugal em Bicicleta pelo terceiro ano consecutivo, César Martingil não conseguiu segurar a amarela, mas conquistou a camisola branca – Prémio da Juventude RTP – e a camisola verde – Prémio Pontos Rubis Gás.

 

“Quase entrava com o pé direito, mas foi muito bom. A cada minuto que passava, só pensava: será que é hoje? Mas quanto vi o Reis a chegar, percebi que não. A branca eu sabia que tinha uma grande hipótese de ganhar”, sublinhou o ciclista da Liberty Seguros.

 

A melhor equipa no prólogo foi o Sporting Tavira.

 

Para a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, que entregou o prémio ao vencedor da prova, este é um dia “extremamente importante” para Setúbal, que, em 2016, no âmbito da distinção como Cidade Europeia do Desporto, recebeu a meta de uma etapa da Volta a Portugal em Bicicleta, após um interregno de quatro décadas.

 

Em 2017, a cidade sadina voltou a receber a meta, na primeira etapa em linha da competição, mas, este ano, as emoções são mais fortes.

 

“Estamos tão contentes por começar aqui a Volta. Isto está em consonância com aquilo que é hoje esta cidade. Uma cidade que está na moda e recomenda-se. Setúbal merece o protagonismo e a visibilidade que lhe estão a dar”, sublinhou.

 

A autarca cortou a faixa inaugural da prova juntamente com o secretário de Estado do Desporto e da Juventude, João Paulo Rebelo, o diretor da Volta, Joaquim Gomes, o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, o vereador do Desporto, Pedro Pina, e o presidente da Fundação do Desporto de Portugal, Paulo Frischknecht.

 

Antes, na parte da manhã, a autarca marcou presença no programa “Há Volta”, transmitido em direto pela RTP1, no Auditório José Afonso, onde foi entrevistada por Hélder Reis e Catarina Camacho, que, em conjunto com Joana Teles, conduziram o programa.

 

Os apresentadores entregaram a Maria das Dores Meira uma placa comemorativa da 80.ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander, com um desenho de Siza Vieira, produzida pela empresa Viúva Lamego, que será entregue a todos os autarcas das cidades que recebem a competição.

 

Atuações musicais, reportagens sobre Setúbal, passatempos e animações diversas marcaram o segundo dia do programa, o qual, ontem, foi transmitido em direto, durante todo o dia, do Parque Urbano de Albarquel.

 

Quer no Largo José Afonso, epicentro da festa do prólogo da 80.ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander, quer no Parque Urbano, não faltaram motivos de interesse e animação para setubalenses e visitantes, como foi exemplo a Feira da Volta, espaço dos patrocinadores do evento com várias atividades para o público.

Nesta área, instalada no Largo José Afonso, as dezenas de stands existentes registaram filas de pessoas que queriam conseguir os vários brindes disponíveis, como t-shirts e bonés, mas também experimentar algumas das atividades disponíveis.

A 80.ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander decorre até 12 de agosto, num percurso com um total de 1578,9 quilómetros, que inclui, depois do prólogo em Setúbal, dez etapas em linha, com início amanhã, em Alcácer do Sal, prova em que os ciclistas vão pedalar 191,8 quilómetros até Albufeira.

 

A competição prossegue com provas que unem Beja a Portalegre, na sexta-feira, Sertã a Oliveira do Hospital, no sábado, Guarda a Covilhã, no domingo, e Sabugal a Viseu, na segunda-feira.

 

Após um dia de descanso, os ciclistas voltam à estrada para as etapas entre Sernancelhe e Boticas, no dia 8, Montalegre e Viana do Castelo, a 9, Barcelos e Braga, a 10, e Felgueiras a Mondim de Basto, a 11.

 

A 80.ª Volta a Portugal em Bicicleta termina com um contrarrelógio de 17,3 quilómetros em Fafe, no dia 12.

Partilhe esta notícia