Existe o mito que as grávidas estão mais propensas a problemas dentários e que a sua saúde oral piora nesta fase. No entanto, isto não tem qualquer fundamento, uma vez que a gravidez por si só, não significa problemas nos dentes e gengivas. No entanto, é muito comum ouvir grávidas e mães recentes, queixarem-se da sua saúde oral e referirem que “cada gravidez, cada dente perdido”. O que realmente acontece é que a gravidez despoleta uma série de alterações hormonais, que vêm acentuar ou desencadear problemas já existentes. Se ao engravidar as gengivas e os dentes estiverem saudáveis, assim continuarão, desde que a mulher mantenha os mesmos hábitos alimentares e de higiene.

Estudos indicam que as grávidas que padeçam de periodontite (inflamação gengivas e reabsorção óssea) poderão ter partos prematuros.

Durante a gestação o bebé não rouba o cálcio à mãe enfraquecendo-lhe os dentes. O que acontece é que o apetite voraz da maioria das grávidas, as faz ingerir maior quantidade de doces, e esse açúcar em excesso é a matéria-prima usada pelas bactérias para produzirem cáries.

Cuidar da saúde oral, procedendo à correta higiene diária dentária, evitando os açúcares e outros alimentos que possam ser propícios ao desenvolvimento de cárie, visitando regularmente o dentista, são aspetos preventivos a praticar, mesmo antes de engravidar. Um maior controlo alimentar durante a gravidez, vem beneficiar tanto a nível do peso, para que não haja grandes oscilações, bem como o não desenvolvimento de cáries.

A gengivite é uma das doenças mais frequentes na gravidez. As gengivas ficam vermelhas, sangram com muita facilidade e “carregam” grande quantidade de microrganismos, que depois podem transmitir e infetar o bebé.
Idealmente, deveria ser feita uma consulta médica dentária antes da gravidez, com o propósito de evitar qualquer problema dentário durante este período.

As mães podem e devem frequentar consultas dentárias durante a gravidez, podendo ser elaborados os tratamentos que necessita. Sendo o período da manhã preferencial para a consulta. Se necessitar de anestesia, poderá fazê-lo, pois o stress, gerado por um tratamento sem anestesia, liberta substâncias prejudiciais ao seu bebé. É mais prejudicial para o bebé que haja uma infeção dentária do que ser sujeito a uma anestesia.
É necessário muita atenção e cuidado com a medicação durante a gravidez, nunca devendo recorrer a auto medicação. Deve consultar o médico para ser adequadamente medicada.

Os cuidados dentários do bebé devem começar durante a sua gestação, através da sensibilização da família para os cuidados a ter, pois nesta altura os papás estão mais sensíveis à necessidade de melhorar este e outros hábitos, em prole do bem-estar do bebé que aí vem, sendo que por norma é entre o 6º e o 8º mês que erupcionam os primeiros dentes de leite.

A saúde do bebé começa pela boca da sua mãe! É possível ter uma boca saudável e um sorriso resplandecente sem haver necessidade de recorrer a tratamentos… a receita é prevenir, manter e não descuidar!

Médico Dentista Nuno Alegria

Clínica Médica Dentária Nuno Alegria

Contacto: clinicanunoalegria@hotmail.com

Site: http://www.centroimplantologiaalmada.com/

Facebook: https://www.facebook.com/centroimplantologia.almada

Partilhe esta notícia