Assinalou-se no passado dia 23 de junho o centenário da Lei que institui as freguesias em Portugal, em que as paróquias civis passaram a chamar-se por freguesias.

Mas foi preciso esperar pela revolução de abril e da Constituição de 76 para que as freguesias assumissem o importante trabalho que hoje desenvolvem junto das populações, e a participação democrática fosse uma realidade

As freguesias são hoje um dos pilares do Poder Local Democrático, que ao longo do tempo foram desenvolvendo o seu importante trabalho junto das pessoas, dos eleitores, enquanto primeiro patamar do poder, dando resposta ás necessidades e preocupações dos cidadãos, mas também contribuindo para o desenvolvimento do país, para a coesão nacional e para a democratização no acesso das populações aos equipamentos públicos.

Mas nunca é demais recordar que PSD e CDS protagonizaram um dos mais ferozes ataques ao Poder Local de que há memória ao impor a famosa “Reforma Administrativa” que mais não foi a extinção de freguesias.Com graves prejuízos para a coesão nacional, para a perda de identidade local.

Agora com o novo quadro parlamentar é importante voltar a pensar nas pessoas, nas suas preocupações e nos seus problemas. Interessa portanto, repor as freguesias extintas pelo PSD e CDS, nas quais, não tenha havido concordância com a proposta do governo ou não tenha havido consenso dos respectivos órgãos deliberativos no sentido da agregação de freguesias e onde, naturalmente não haja, hoje oposição dos órgãos envolvidos.

Neste contexto face à experiência que o tempo já permite avaliar, importa também, facultar aos órgãos deliberativos que assim o entendam e independentemente da posição que tenham tomado quando foram chamados a prenunciar-se no âmbito do processo de agregação de freguesias, importa ainda facultar a possibilidade de rever a sua posição, tendo presente a experiencia dos últimos três anos.

“Os Verdes” saudam os autarcas, pela dedicação, pelo esforço e pelo empenho, no combate aos atrasos estruturais, no combate à interioridade, na

criação de infra-estruturas, na prestação de serviços públicos às populações, , pelo contributo que têm dado para o desenvolvimento do País e para a resolução dos problemas das populações, mas também pela luta que desenvolveram contra a extinção de freguesias imposta pelo anterior Governo, o Governo do PSD e do CDS.

Partilhe esta notícia