O PNR defende uma reforma máxima por cidadão, que não pode ultrapassar os 2000 euros. Com isto extingue-se o acumular de reformas que só alguns têm acesso, bem como com as reformas de luxo.

A partir deste ponto, conseguimos a sustentabilidade da Segurança Social, independentemente do que as pessoas ganhem. A reforma terá sempre o valor máximo estipulado por Lei. (A Suíça adopta este modelo e é do agrado de todos).

Com as reformas reguladas, podemos dizer com toda a certeza, que os portugueses que trabalharam uma vida inteira e têm reformas de 300 e 400 euros, passarão a usufruir de uma reforma condigna, que será estipulado por Lei em torno dos 600 euros.

Ao limitarmos as reformas milionárias a pessoas que já ganharam muito durante a sua vida, os seus descontos serão utilizados para aqueles que tem reformas de miséria.

O PNR defende que os portugueses deverão trabalhar em prol de Portugal; a unificação [não é acabar com as classes sociais] de todas as classes, tornar-se-á o símbolo do NACIONALISMO português, a entreajuda estará bem presente em todos nós e seremos um exemplo a seguir para todos os povos.

 

Rogério Santos

Candidato número dois do PNR pelo distrito de Setúbal.

Partilhe esta notícia