“Quando estamos conscientes dos perigos que a esta situação representa, agir com urgência é uma responsabilidade que se impõe. Para quando uma intervenção integrada de estabilização e limpeza das encostas que ladeiam a linha férrea [na Baixa da Banheira]?” A pergunta foi colocada pelo Grupo Parlamentar “Os Verdes” ao Ministério da Economia.

Esta questão colocada ao Governo pela deputada Heloísa Apolónia surge na sequência do deslizamento de terras, que ocorreu na madrugada de 7 de dezembro, “junto à passagem desnivelada superior, localizada ao Km 3+175 da linha ferroviária do Sado, que quase atingiu a linhados carris, deixando em perigo iminente as traseiras de alguns quintais e prédios que correm o risco de ruir” na freguesia da Baixa da Banheira, no concelho da Moita.

O PEV considera “urgente” que seja elaborado, pela REFER, “um projeto de intervenção global para a estabilização das encostas que ladeiam a linha férrea, na zona sob a sua jurisdição, e que seja levado a cabo uma ação de limpeza dos resíduos, entulho e vegetação nas encostas”, acrescentando que no âmbito dessa intervenção de garantia de segurança, “impõe-se igualmente atender ao facto de junto à passagem desnivelada superior que serve de atravessamento rodoviário e pedonal da Rua Ville Plaisir na Baixa da Banheira, existirem pequenos muros de alvenaria intercalados com umas “barras de ferro” obsoletas, as quais constituem um perigo de ocorrência de acidentes de queda por descuido, em particular em relação às crianças que ali residem e brincam”.

Para o Grupo Parlamentar é aconselhável que a REFER retire as “barras de ferro” e construa “um muro contínuo em alvenaria ao longo da Rua Sebastião da Gama para acautelar a segurança na área envolvente sul desta passagem desnivelada”.

Partilhe esta notícia