“Os Verdes” questionaram o Governo, através da Assembleia da República (AR), sobre a inexistência de um pavilhão gimnodesportivo na Escola Secundária da Baixa da Banheira, uma “promessa” que, de acordo com o Grupo Parlamentar, “tem vindo a ser adiada há quase quatro décadas”.

“Esse pavilhão é, desde há muito tempo, a maior ambição da população escolar. Existindo espaço para a sua construção, ele concretizaria o sonho de muitos jovens adeptos da atividade desportiva, serviria a prática de desporto escolar, mas também poderia servir a comunidade envolvente. Certo é que a inexistência de um pavilhão gimnodesportivo neste estabelecimento de ensino faz com que a prática do desporto seja negada aos estudantes, nomeadamente no inverno, comprometendo, portanto, a formação integral dos jovens e uma plena educação, para a qual a atividade e destreza física concorrem de forma também direta”, defendem “Os Verdes”.

No documento entregue na AR, subscrito pela deputada Heloísa Apolónia, realça-se que a Escola Secundária da Baixa da Banheira “está inserida no Programa de Territorialização de Políticas Educativas de Intervenção Prioritária” – 3ª geração – que “pretende criar as condições para se conseguir uma melhoria do ambiente educativo, de forma a promover o sucesso educativo dos alunos” e “considerando que o desporto praticado na escola é fundamental e que muitos jovens encontram aí o único espaço para as práticas desportivas, por não terem condições financeiras de pagar o exercício de modalidades desportivas, os pavilhões gimnodesportivos tornam-se equipamentos fundamentais nos estabelecimentos de ensino”.

Heloísa Apolónia recorda, ainda, que “em 2001, a Câmara Municipal da Moita e o Ministério da Educação assinaram um protocolo para a construção do pavilhão gimnodesportivo, porém a construção do equipamento nunca foi sequer iniciada”.

Partilhe esta notícia