A elite da natação portuguesa a nível juvenil, júnior e sénior competiu no Jamor, entre os dias 21 e 24 de julho, no Campeonato Nacional de Juvenis e Absolutos Open de Portugal. O evento mais importante a nível nacional contou com a participação 896 atletas em representação de 131 entidades, entre os quais os cinco nadadores apurados para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e atletas oriundos de Espanha, Finlândia, França, Dinamarca, Irlanda, Moçambique, Reino Unido e Suíça.

 

Em representação da Palmela Desporto, destaque para David Lopes, presente na final A nos 50 m mariposa (5.º melhor português na eliminatória) e na final B nos 50 m Livres e 100 m Mariposa. Realce para o facto das finais de dia 23 e 24 terem sido alvo de transmissão televisiva direta na “A Bola TV”. Tomás Coxixo apresentou-se igualmente em bom plano, sendo atleta júnior de primeiro ano foi primeiro suplente para final B nos 50 m Costas (em absolutos, sem distinção de escalão) e Eduardo Guia, estreante em Campeonatos Nacionais, estabeleceu novo recorde pessoal nos 50 m Bruços.

 

Os desempenhos individuais foram os seguintes:

 

David Lopes (Sénior – 1990)

50 m Mariposa – 25.69 (13º classificado na eliminatória, final 25.95);

100 m Mariposa – 57.94 (20.º classificado na eliminatória, final 58.64);

50 m Livres – 24.68 (22º classificado na eliminatória, final 24.82).

 

Eduardo Guia (Júnior segundo ano – 1998)

50 m Bruços – 32.71 (38.º classificado na eliminatória);

100 m Bruços – 1:14.62 (82.º classificado na eliminatória).

 

Tomás Coxixo (Júnior primeiro ano – 1999)

50 m Costas – 29.29 – (23.º classificado);

100 m Mariposa – 1:03.26 (29º classificado na eliminatória);

50 m Mariposa – 27.22 (45º classificado na eliminatória);

100 m Mariposa – 1:00.64 (48º classificado na eliminatória).

 

Este evento desportivo foi o último de natação pura na época desportiva de 2015/2016 onde a equipa da Palmela Desporto evidenciou uma grande evolução coletiva e resultados individuais de destaque, nomeadamente a presença de três nadadores infantis no Campeonato Nacional (pela primeira vez na história da equipa) e presença em três finais individuais no Open de Portugal, facto relevante e único na Península de Setúbal, a par apenas de entidades sediadas no concelho de Almada.

 

As evidências da época desportiva de 2015/2016 acrescentam responsabilidade e exigência ao modelo da competição da Palmela Desporto e relacionam-se com a orientação estratégica definida recentemente pelo Conselho de Gestão “Tornar a Palmela Desporto até 2022, o melhor núcleo de prática de natação pura desportiva a nível federado nos sete concelhos mais a sul da Região de Setúbal – Alcochete, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Sesimbra e Setúbal – ao nível dos resultados desportivos, e o maior em número de nadadores federados, assumindo-se como um clube de referência da natação a sul do distrito de Lisboa”.

Partilhe esta notícia