O Conselho Local de Almada do Partidos pelos Animais e pela Natureza (PAN) divulgou em comunicado que apresentou esta quarta-feira uma queixa, no Ministério Público do Tribunal de Comarca e de Família e de Menores de Almada, contra a autarquia da Moita e a Comissão de Festas por “homicídio a título doloso ou negligente por omissão, denegação da justiça” e ainda por incumprimento da Lei nº92/95.

A queixa surge na sequência dos dez dias das Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem, as quais incluíram, como refere o documento “nove largadas de touros, resultando destas a morte de, pelo menos, 2 pessoas, e um número indeterminado de cidadãos ficaram feridos num evento que se desconhece a celebração de seguros que reparem danos”.

“Entre as vítimas encontravam-se pessoas que participaram nas largadas, mas também pessoas que se encontravam apenas a assistir. Recordamos que o público deste evento incluía pessoas de todas as idades e menores de 12 anos, aos quais touradas e largadas são vedadas por lei desde Fevereiro de 2014. Não obstante a ausência de condições de segurança, o Município insistiu na continuação das largadas colocando patrocínios acima do interesse público e responsabilizando quem participa e assiste a estes eventos, pelo que o PAN Almada atreve-se a fazer a analogia, lançando o repto: já agora, porque não soltam um leão nas ruas e colocam o aviso cuidado com o leão?”, questiona o conselho local de Almada.

O PAN de Almada sublinha ainda que “repudia todos e quaisquer eventos que envolvam a exploração, abuso e morte de animais e também todos aqueles que coloquem em risco a integridade física de todas e quaisquer pessoas”.

Partilhe esta notícia