Com a crise pandémica que vivemos acentuam-se os perigos associados a uma idade mais avançada, os perigos associados a patologias e a quadros clínicos que carecem de mais atenção. 
A resposta que a sociedade tem que dar é apoio. Apoio para que nenhuma destas pessoas tenha que sair de casa, pois não podemos colocar estas pessoas em risco de contrair a COVID-19. 

Por aqueles que são abandonados numa cama de hospital em épocas festivas, por aqueles que são esquecidos no silencio da solidão, por aqueles que são abandonados por um estado que tudo promete e escasseia, por aqueles que veem dificuldades no acesso a um SNS humano, por todos esses e muitos outros a JP estará lá. 

Agora, mais uma vez, a JP estará onde sempre esteve, ao lado dos mais velhos, como esteve quando defendeu a criminalização do abandono dos idosos, como esteve na defesa intransigente da vida no combate à eutanásia e pelo reforço dos cuidados paliativos.  Nesta matéria mobilizará os seus jovens e a sociedade civil, para que nesta altura tão difícil sejam constituídos grupos de apoio aos mais diversos agentes de solidariedade social, sejam IPSS, Bancos de Voluntariado, ONG´s ou Autarquias. 

Estes grupos servirão para apoiar aqueles que por doença, velhice ou pobreza estejam mais expostos ao vírus. Serão um verdadeiro exercício de cidadania num momento tão difícil para Portugal. Marcamo-nos pelo personalismo humanista que reconhece o ser humano como célula central da sociedade e sendo central, qualquer risco desnecessário deve ser evitado. É para isto que a Juventude Popular enviará os seus voluntários para o terreno.

A JP está com os mais vulneráveis. Contem connosco, nós contámos e contaremos sempre convosco.

José Coutinho

Presidente da Juventude Popular Distrital de Setúbal