Um passeio este último domingo valeu a liderança isolada ao Sporting, e digo passeio porque só uma equipa entrou ontem em campo. A equipa orientada por Jorge Jesus não precisou de fazer muito para chegar ao intervalo a vencer por 0-3, bastou aproveitar uma equipa do Benfica sem chama, sem alma, sem orientação e sem vontade de vencer. Nos momentos certos, o Sporting soube marcar e na segunda parte bastou gerir o jogo a um ritmo de peladinha. Com o empate do F.C. Porto em casa frente ao Sp. Braga, os verde e brancos ficam com 2 pontos de vantagem na liderança. Rui Vitória levou mais um “banho tático” e não teve argumentos para responder, a entrada de Fejsa ao intervalo para reforçar o meio-campo quando se está a perder explica o desnorte geral que se viveu na equipa do Benfica.

 

Não se percebeu o que se passou nos encarnados, cansaço do jogo de quarta-feira frente ao Galatasaray, desmotivação, falta de preparação para um jogo importante, não sabemos. Uma coisa é certa, o tempo escasseia para Rui Vitória e não vale a pena escamotear as fragilidades que a equipa do Benfica apresenta. A pré-época foi uma desgraça, a época oficial começou com a perda da Supertaça para o Sporting, à 2.ª jornada o Benfica poderia ter saltado para a liderança isolada do campeonato mas perdeu em Arouca e já leva 3 derrotas em 7 jogos. Mesmo com um jogo a menos, ocupa o 8.º lugar e está a 8 pontos do Sporting e a 6 do F.C. Porto. Podemos afirmar que ainda falta muito campeonato mas quem fica a distâncias tão grandes tem mais tendência a perder pontos do que a recuperá-los.

 

A culpa não é toda de Rui Vitória, a tão famosa “estrutura” reforçou mal a equipa e não deu um terço da qualidade que deu a Jorge Jesus. Carcela tarda em impor-se, Taarabt é um caso de indisciplina, Mitroglou e Jiménez mostraram-se mais mas ainda não fazem um Lima. Só Maxi Pereira foi esquecido com a qualidade que o miúdo Nelson Semedo impôs mas acabou lesionado ao serviço da Seleção e não se sabe quando regressa. Quando Gaitán, Luisão e Jonas não rendem o Benfica deixa de ser equipa, Pizzi e Talisca andam longe do que fizeram a época passada e muitos sócios e adeptos perguntam-se porque Cristante, Lisandro e Djuricic não têm mais oportunidades.

 

Rui Vitória não tem toda a culpa mas nestes casos o treinador é sempre o sacrificado e os sócios já não têm muita paciência para períodos de adaptação e a este ritmo o Benfica corre o risco de chegar a Dezembro com as suas aspirações nas competições onde participa seriamente comprometidas. A resposta tem que ser dada já na próxima sexta-feira frente ao Tondela, caso contrário a passagem de Rui Vitória pelo Benfica pode tornar-se curta.

 

Por: Ricardo Santos

Marketeer

 

 

 

 

Partilhe esta notícia