Valorização e aumento da produção, sim!

Encerramento de empresas e desemprego, não!

O PCP através do seu Grupo Parlamentar na Assembleia da República, tem vindo a acompanhar a situação das empresas AMAL e MCAV- Metalúrgica Central de Alhos Vedros, que se encontram de momento respectivamente num processo de insolvência (AMAL) e num processo de PER-Plano Especial de Revitalização (MCAV), tendo para o efeito solicitado esclarecimento ao Governo. Estas duas empresas são empresas de referência no tecido produtivo do concelho da Moita, no sector metalúrgico, e envolvem centenas de trabalhadores.

Assim a Comissão Concelhia da Moita realizou uma reunião alargada, em 26/11/16, para a qual convidou a participar as Autarquias do Concelho, o Grupo Parlamentar do PCP, o Sindicato representativo dos trabalhadores e os trabalhadores, com o objectivo de se avaliar qual o verdadeiro estado destas empresas; a situação laboral dos trabalhadores; as consequências imediatas no seu futuro a nível da manutenção dos postos de trabalho, o impacto do potencial desemprego no concelho; e avaliação das possíveis formas de atuação na salvaguarda dos interesses dos trabalhadores e da produção e do emprego no concelho.

O PCP considera que a produção e o emprego são dois pilares do combate aos sucessivos e crónicos défices provocados pela política de direita.

Entendemos que é necessário salvaguardar os direitos dos trabalhadores envolvidos, bem como a criação de condições para retomarem a sua atividade normal. As empresas deverão retomar a laboração normal colocando as suas experiencias e capacidades ao serviço da evolução profissional dos trabalhadores, das suas condições de vida, mas também a de contribuírem para o desenvolvimento económica da região e do País.

Na reunião saíram as seguintes reflexões/ conclusões/ compromissos:

Por parte dos trabalhadores presentes uma grande preocupação, em relação à manutenção dos seus postos de trabalho, ao respeito pelos seus direitos laborais e grandes dúvidas em ralação à retoma da actividade das empresas.

Dos eleitos autárquicos do PCP no concelho a disponibilidade de atuar no âmbito das suas competências, na defesa dos interesses dos trabalhadores e dos interesses económicos do concelho que passam pela luta contra a destruição do seu tecido económica.

O Grupo Parlamentar do PCP vai continuar a intervir na Assembleia da República a questionar o Governo sobre a situação das empresas e a defesa dos postos de trabalho.

A Comissão Concelhia da Moita assumiu a responsabilidade de continuar a efectuar outras iniciativas, para a defesa do emprego, dos direitos dos trabalhadores, do desenvolvimento económico e social da região, contribuindo desta forma para o desenvolvimento do País.

Continuando-se a confirmar o sufoco dos encargos da dívida pública, dos constrangimentos, chantagem e porque milhares de milhões de euros tem sido posto à disposição para fazer valer aos escândalos na banca, há que continuar a luta por uma rotura com a política de direita e exigir a afirmação dos objectivos da política alternativa patriótica e de esquerda.

Os trabalhadores podem continuar a confiar no PCP, para continuação da luta em defesa das liberdades, do desenvolvimento, do progresso social e soberania nacional.

30/11/2016

A Comissão Concelhia da Moita

Partilhe esta notícia