A União Desportiva e Cultural Banheirense (UDCB), instituição de utilidade pública desde 1987, é uma coletividade da Baixa da Banheira, que desenvolve atividade na área desportiva, cultural e recreativa em prol da comunidade local, dirigida a todas as faixas etárias. Face à enorme dinâmica na atividade desportiva, a UDCB tem a necessidade de ampliar as suas instalações desportivas.

A Câmara Municipal da Moita cedeu um terreno à UDCB para a construção de um complexo desportivo, para responder às necessidades da prática desportiva, com a construção de dois campos desportivos e das infraestruturas técnicas de apoio, mas também prevê a criação de uma área de lazer destinado à população em geral.

Em 2001 a coletividade apresentou uma candidatura ao PIDDAC subprograma 1, 1ªfase para a construção do Parque Desportivo, tendo sido selecionada em 30 de Novembro de 2003. Nesta sequência houve vários contactos, tendo sido enviado os estudos geológicos e geotécnicos e o estudo prévio, inclusive com a introdução de retificações ao mesmo. A 11 de Maio de 2004 o Instituto do Desporto deu parecer favorável ao estudo prévio.

Seguidamente, a CCDR-LVT solicitou o projeto de execução com todas as especialidades, num prazo de 132 dias, a UDCB assim o fez. A CCDR-LVT informou a coletividade da aprovação do projeto a 20 de Abril de 2005, e que fosse apresentada nova candidatura à 2ª fase do subprograma 1. A UDCB apresentou nova candidatura. Contudo, a 20 de Julho de 2006, a Chefe de Gabinete do Sr. Secretário de Estado informava que, por restrições financeiras do programa, não era possível financiar a candidatura e a 31 de Agosto de 2006 a CCDR-LVT informou que a candidatura tinha sido definitivamente retirada, e sugeria que, se fosse entendimento da UDCB, poderia apresentar nova candidatura.

A 13 de Setembro de 2006 foi enviada nova candidatura para a construção do Parque Desportivo. A 12 de Junho de 2007, no sítio da internet da Direcção Geral do Ambiente e Ordenamento do Território, a candidatura aguardava decisão ministerial.

No âmbito do processo de candidatura foi solicitado num curto espaço de tempo a apresentação dos projetos finais, cujo investimento rondou os 75 mil euros, suportados pela Câmara Municipal da Moita. Entretanto, a Câmara Municipal da Moita já tinha investido cerca de 18 mil euros na realização dos estudos geológicos e geotécnicos e a UDCB conseguiu construir a vedação e bilheteira devido ao apoio de um particular, no valor de cerca de 190 mil euros. No total, a candidatura do Parque Desportivo já implicou um investimento total no valor de quase 300 mil euros.

Não se podem desperdiçar os investimentos já realizados, nem se pode deixar cair por terra todo o empenho dos vários órgãos sociais desta coletividade ao longo dos anos para a concretização do Parque Desportivo, um anseio da população desta localidade. A construção do Parque Desportivo “Avelino da Costa Rodrigues”, para além de contribuir para a resolução de um problema relacionado com a necessidade de infraestruturas desportivas na Baixa da Banheira, constitui também um estímulo e incentivo à prática desportiva e para a adoção de comportamentos saudáveis.

Há 16 anos que a UDCB intervém e luta pela construção do parque Desportivo, continuando a aguardar o desfecho deste processo que já passou por diversos governos, com compromissos já assumidos no passado mas que continuam por concretizar.

Os deputados do PCP, Paula Santos, Francisco Lopes e Bruno Dias, quiseram saber qual a avaliação do governo face ao processo exposto com vista à construção do Parque

Desportivo da UDCB e que medidas pretende tomar para de uma forma definitiva concluir este processo, cumprindo compromissos já assumidos no passado.

Os deputados comunistas também perguntaram se o Governo pondera recorrer aos fundos comunitários para a construção do Parque Desportivo e para quando pensa ser possível a sua construção.

O Gabinete de Imprensa da DORS do PCP

Partilhe esta notícia