O Executivo da DORS do PCP saúda a greve dos trabalhadores da saúde, que se está a realizar durante o dia de hoje, contra o aumento e a desregulamentação dos horários de trabalho, pela melhoria das condições de vida e trabalho, em defesa do Serviço Nacional de Saúde e que está a contar com uma fortíssima adesão por parte da generalidade dos trabalhadores.

Os números da greve na Península de Setúbal revelam uma fortíssima adesão. No turno da noite no Hospital de Setúbal 75%, no mesmo turno no Hospital do Barreiro 95%, e no Hospital Garcia de Orta 70%, no turno da manhã no Hospital de Setúbal 75%, no mesmo turno no Hospital do Barreiro 80% e no Hospital Garcia de Horta 85% e ainda um vasto conjunto de Centros de Saúde por toda a região que se encontram encerrados ou que não funcionaram.

Esta adesão revela o descontentamento generalizado e um firme protesto destes trabalhadores face às políticas deste Governo, que se têm revelado injustas e penalizadoras dos mais elementares direitos dos trabalhadores.

O Governo está a impor a estes trabalhadores um regime de trabalho desumano, de aumento da duração do tempo de trabalho, aumento do trabalho extraordinário, de ausência de folgas e pagamento de feriados.

O regime de exploração a que estes trabalhadores estão sujeitos é cada vez maior, agravado pelos sucessivos cortes salariais e pelo aumento de impostos sobre os rendimentos do trabalho.

Para além da situação concreta da vida destes profissionais, a falta de trabalhadores, o aumento da precariedade e as sobrecargas nos horários de trabalho resultam directamente numa acentuada degradação da qualidade do Serviço Nacional de Saúde, situação que o Governo premeditadamente quer promover, com o objectivo de pôr em causa o SNS visando a sua destruição. Em simultâneo continua a promover e apoiar as instituições de saúde privadas, as Parcerias Público Privadas e a entrega de serviços públicos de saúde a privados.

Face a esta situação, o PCP saúda e apoia a luta destes trabalhadores e apela à sua continuação, no sentido da derrota deste Governo e destas políticas de exploração, de empobrecimento e de declínio nacional. O PCP apela a todos os trabalhadores e ao povo em geral para que aprofunde a luta por uma política alternativa, patriótica e de esquerda, em que a valorização do SNS e dos seus trabalhadores seja uma realidade.

 

O Executivo da DORS do Partido Comunista Português

 

Partilhe esta notícia