A próxima sessão do Photobook Club do Barreiro, prevista para dia 17 de janeiro, foi adiada para o dia 31 do mesmo mês e irá realizar-se na Partícula de Deus, Largo Luís de Camões, nº 25, Barreiro. Recorde-se que, para janeiro, estão ainda previstas várias iniciativas culturais.

 

ARTES PERFORMATIVAS

 

17 janeiro | domingo | 16h00 | Concerto de Ano Novo | Camerata Musical do Barreiro | SDUB Os Franceses | MÚSICA

Classificação etária: M/6

Duração  – 60 min.

Entrada livre

 

22 janeiro | sexta-feira| 22h00 | Tó Trips | Auditório Municipal Augusto Cabrita | MÚSICA

(organização OUT.RA – Associação Cultural, em parceria com a CMB)

 

Tó Trips é, hoje, reconhecido sobretudo pelo seu papel nos incontornáveis Dead Combo, mas os mais atentos não esquecerão o seu papel fundador no rock independente nacional à frente dos lendários Lulu Blind, autênticos dinamitadores de palcos lusos na década de 90 (quem esquece a abertura do concerto dos Sonic Youth no Campo Pequeno e o hino que foi “Rita Hot Pussy”?).

 

No início do milénio, Tó Trips redescobriu a guitarra (e toda a música), livre da até então omnipresente distorção, e o resto, como se diz, é história: “Guitars from Nothing”, originalmente gravado em 2002, marcou o inicio da aventura Dead Combo – das mais belas que este país já testemunhou – e, em 2009, “Guitarra 66” marcou, definitivamente, a sua voz individual enquanto veículo de uma portugalidade que se atravessa, como a história o fez, por vários continentes e várias músicas – do western americano ao México, do flamenco a Cabo Verde – e várias influências marcantes – de Enio Morricone a Marc Ribot, ou à presença tutelar de Carlos Paredes.

 

Lançou, em 2015, “Guitarra Makaka – Danças a Um Deus Desconhecido”, disco marcante e de beleza rara, que tem vindo a promover por todo o país, e que chega, finalmente, ao Barreiro.

 

Faixa Etária – M/12anos

Duração  – aprox. 60 min.

Ingresso  – 5,00 €

 

 

31 janeiro | domingo | 16h00 | Espetáculo comemorativo do 13º Aniversário do Coro Polifónico do Alto do Seixalinho | Auditório Municipal Augusto Cabrita

Coro Polifónico do Alto de Seixalinho

Grupo de Danças e Cantares  Moldavos da MIORITA – Associação Cultural dos Imigrantes Moldavos

Coral Atlântico (Sines)

 

Faixa Etária – M/6 anos

Duração  – aprox. 60 min.

Entrada Gratuita, sujeita à lotação da sala

 

ARTES VISUAIS

 

23 janeiro a 27 março | VITOR CID | Zona Estreita – Entre as margens do quotidiano | Auditório Municipal Augusto Cabrita – Piso 1 Galeria Amarela | Exposição de Fotografia

Inauguração: 23 janeiro | sábado | 17h00

 

Entre a montanha e a planície, entre a casa e o trabalho, entre Cacilhas e Lisboa existe sempre uma pausa, uma viagem – ou melhor, duas, a de ida e a de volta – sobre as águas do Tejo, a bordo de um cacilheiro, através da chamada Zona Estreita.

São viagens curtas, diárias, intensas. De todos os meios de transporte que utilizamos nas deslocações a que nos obrigam os nossos afazeres do dia-a-dia, o barco, o cacilheiro, é, talvez, aquele onde a consciência da viagem é mais veemente. Seja pelas tonalidades do céu ao mergulharem no rio, seja pela agitação das águas que nos embalam o espírito, quando viajamos num cacilheiro parece que o fazemos sempre pela primeira vez. É este um transporte público muito particular, pois o bilhete que compramos confere-nos muito mais do que o simples direito a cruzar o rio, concede-nos uns instantes de contemplação, de tranquilidade, de calma, de reflexão, de pausa entre as margens do quotidiano.

São esses instantes de pausa que o artista nos quer mostrar, através de um conjunto de fotografias que realizou durante quatro anos de travessias quase diárias.

 

Vitor Cid nasceu em Lisboa, em 1964. Atualmente vive em Almada.

Começa a fotografar a princípios da década de oitenta, sobretudo como um auxiliar nas funções de luminotécnico que desempenha durante quase dez anos na Companhia de Teatro de Almada. No final dos anos oitenta abandona o teatro, mas não a fotografia, atividade que, primeiro como amador e depois como profissional, exerce há mais de 30 anos. Em 2011, frequenta o Curso Profissional de Fotografia, no Instituto Português de Fotografia, em Lisboa, que conclui em 2013. Realiza estágio profissional no jornal Público. Participa em diversas mostras coletivas e individuais de fotografia.

 

 

23 janeiro a 27 março| PAULO FREIXINHO | Rostos em grelhas de Palavras Cruzadas | Auditório Municipal Augusto Cabrita – Piso 1 Galeria Branca – Exposição de Artes Plásticas

Inauguração: 23 janeiro | sábado | 17h00

 

Nasceu em Lisboa (1968) e veio para o Barreiro aos 3 anos de idade.

É autor de Palavras Cruzadas desde 1990 e baixista da banda Bon Sauvage.

Começou por fazer artesanato e a sua primeira profissão foi a de desenhador gráfico mas os dicionários mudaram-lhe o rumo.

Já criou milhares de passatempos para jornais e revistas nacionais e da diáspora (Público, Jornal de Notícias, Caras, Selecções Reader’s Digest, Almanaque Bertrand, A Voz de Trás-os-Montes, Portugal Post, Contacto, entre outros).

Porque manteve o gosto pelas Artes, lembrou-se um dia de levar o tema Palavras Cruzadas para as telas.

Com a chegada das redes sociais começou a criar imagens com rostos de figuras ligadas à Cultura em grelhas de Palavras Cruzadas… foram já criadas mais de 300 imagens.

Nesta exposição estarão integrados rostos de diversas personalidades tanto ligadas ao Barreiro, como rostos de ícones da Cultura mundial, bem como, ligados à Cultura nacional.

Dentro da exposição haverá também um espaço destinado aos mais novos, ao qual dá o nome de Cantinho das Palavras Cruzadas: Uma grelha em branco com letras que podem ser manuseadas e onde as crianças poderão fazer e/ou criar as suas próprias Palavras Cruzadas (estilo Scrabble).

 

 

30 janeiro | sábado | 10h00 às 14h00 | Workshop de Fotografia de Rua | Auditório Municipal Augusto Cabrita – Piso 1 Pequeno Auditório | Formação de Fotografia

(organização Academia Olhares, em parceria com a CMB)

 

A Academia Olhares é um projeto formativo do site Olhares.com, a maior comunidade online do mundo de fotografia em língua portuguesa. A Academia conta com vários cursos e workshops na área da fotografia em Portugal e no Brasil, disponibiliza formação certificada pela DGERT (Direcção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho).

 

Conteúdo Programático:

1 – Técnicas básicas da Fotografia: Abertura, Velocidade, ISO

2 – O que fotografar? Que técnicas aplicar?

3 – A importância da luz

4 – Como eliminar os ruídos da composição?

5 – Ética da imagem

> Integração teórico-prática

 

Material necessário: Câmara Fotográfica

Informações/inscrições: http://olhares.sapo.pt/academia/c-m-barreiro-curso-fotografia-de-rua/

Nota: Será entregue um certificado de participação a todos os inscritos

 

Destinatários: Este workshop destina-se a todos os que pretendem explorar a vertente mais criativa da fotografia de rua.

Valor: 35€

 

 

31 janeiro | 16h00 – 17h30 | Photobook Club Barreiro – Encontros sobre Fotografia | Partícula de Deus, Largo Luís de Camões, nº 25 Barreiro

 

“The Photobook Club” teve início em Inglaterra e, atualmente, existe em vários pontos do mundo. Tem como principal Objetivo criar um espaço para a análise e discussão em torno do livro de fotografia de autor. No Barreiro, essas sessões são organizadas pela Câmara Municipal do Barreiro e têm periodicidade bimestral.

Tratam-se de encontros, de caráter informal, onde um fotógrafo é convidado a apresentar o processo que o levou a criar um projeto fotográfico em forma de livro. Estes encontro são, essencialmente, de partilha onde o público tem espaço para questionar e partilhar experiências.

Esta edição do PBC é realizada em parceria coma Artesfera – Associação de Artes Plásticas do Barreiro.

 

Nesta sessão será apresentado o fotolivro “eu isto e agora”

“eu isto e agora” é um projeto fotográfico, comunicado na forma de fotolivro, que resulta de um diálogo de apropriação que estabeleci com um corpo de  imagens de tipologia documental-turístico, impressas em papel 10x15cm, a cores, e preservadas num álbum de cartão 11x17cm, na capa do qual figura a inscrição “Mosteiro de Rendufe, Braga, Vila Verde”. 

As relações de interesse que estabeleci com o dado cruzam-no com o que trago comigo de questionamento, espanto e preconceito, e com informação que, entretanto, explorei no âmbito deste trabalho. Em toda a reflexão marcam forte presença recentes leituras.

Janeiro de 2016, Carlos Gote Matoso

 

Faixa Etária – M/12 anos

Entrada Livre

 

Mais informações: 212 068 232 ou cultura@cm-barreiro.pt

Bilhetes à venda no AMAC e Posto de Turismo

Partilhe esta notícia