Na prova de estreia no Circuito do Estoril – a derradeira prova do calendário do European Le Mans Series -, e aos comandos de um protótipo de Le Mans, o piloto Miguel Faísca terminou a corrida na 7ª posição. Uma rara demonstração de talento e de maturidade do jovem piloto que disputou apenas a 7ª corrida da carreira e há 13 meses só realizava corridas virtuais na PlayStation.

Para Miguel Faísca, que vive desde os dois anos de idade no Montijo, mais do que o resultado, fica a satisfação de ter cumprido dois turnos consecutivos em que chegou a ser o mais rápido em pista. “Estou satisfeito, mas gostava de ter sido ainda mais rápido. Eu sei que era a minha estreia, que tenho pouca experiência, mas tenho de ser ambicioso se quero chegar longe na carreira. No entanto, claro que estou satisfeito. Aprendi bastante e graças à Nissan vivi uma experiência fantástica, frente a milhares de portugueses. O apoio ao longo da prova foi fantástico e até nas redes sociais foram muitas as manifestações de apoio que me sensibilizaram”, admitiu o piloto montijense, depois de 1h30 aos comandos do Zytek-Nissan.

O campeão europeu da GT Academy’2013, considerou que as maiores dificuldades do fim-de-semana foram “as ultrapassagens aos concorrentes mais lentos e as travagens para curvas como a ‘parabólica interior’ e a ‘orelha’, onde ainda tenho muito para evoluir”. Relativamente à adaptação ao Zytek-Nissan, Miguel Faísca assumiu que “esperava que fosse mais difícil”. “Nas curvas rápidas penso que até já estou ao nível dos melhores e isso foi o que mais me surpreendeu. Face ao Nissan GT-R GT3 que pilotei anteriormente, considero este protótipo mais fácil de pilotar”, acrescentou.

Partilhe esta notícia