“Talvez sejam sempre as pessoas que constroem os ícones com o olhar. Talvez não existissem formas se não houvessem pessoas para distingui-las e para lhes encontrarem significados que as justificassem. Talvez. É também assim com as cores. Qualquer quadro visto com os olhos fechados tem apenas uma cor. (…) Talvez o mundo mais real seja aquele que existe sem formas, como um ruído uniforme na forma única da sua própria ausência, como um silêncio permanente e absoluto onde as palavras são indistintas e todos os significados existem ao mesmo tempo”.

No dia 17 de janeiro (domingo), às 16h00, a Galeria Municipal do Montijo inaugura uma exposição de pintura de Fernando Direito. A mostra, realizada em parceria com a Galeria Valbom, permite-nos realizar uma viagem pictórica e sensorial pela obra deste conceituado artista português.

Fernando Direito nasceu em Vila Nova de Foz Côa, em 1944, iniciou a sua carreira em Moçambique nos anos sessenta. Vive e trabalha em Lisboa. Paralelamente à pintura, desenvolveu diversas atividades na área das artes gráficas.

Os seus mais recentes trabalhos aprofundam uma reflexão sobre uma nova expressividade pictórica, entre o fauvismo primitivo e uma ideia matissiana da cor enquanto derradeira fonte de estímulos sensoriais.

Com diversas exposições individuais e coletivas, participou em várias Feiras de Arte Contemporânea a nível nacional e internacional. Está representado em várias coleções públicas e privadas como as do BCP e da Caixa Geral de Depósitos, destacando-se igualmente a Coleção Frederik R. Weisman, de Los Angeles, uma das maiores coleções de arte dos Estados Unidos da América.

A exposição de Fernando Direito pode ser visitada na Galeria Municipal do Montijo, até 25 de fevereiro, de segunda a sexta-feira das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. A entrada é livre.

Partilhe esta notícia